Rede aleluia
Por que o batismo nas águas é muito mais do que um banho
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 1 de Janeiro de 2018 - 02:05


Por que o batismo nas águas é muito mais do que um banho

Entenda a relevância do ato na decisão de se entregar a Deus

Por que o batismo nas águas é muito mais do que um banho

A atitude de se converter e seguir o Senhor Jesus é a mais importante da vida do ser humano, pois ela interfere em toda a sua eternidade. Um ato importantíssimo que faz parte dessa decisão é o batismo nas águas.

“Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado.” (Marcos 16:16)

O próprio Senhor Jesus teve de ser batizado, mostrando o exemplo que cada cristão deve seguir para iniciar a caminhada da fé rumo à Salvação da alma. Mas apesar de simples, ele representa muito mais do que um banho.

“Por meio dele somos sepultados, significando que a vida anterior à nossa conversão, para nós e para o mundo, está definitivamente morta. Pelo sepultamento, através do batismo, deixa de existir o nosso eu para o pecado, o qual já não terá mais domínio sobre nós, pois já estamos mortos para ele”, explica o bispo Macedo no livro “Nos Passos de Jesus”.

Não significa que a partir daquele momento a pessoa nunca mais errará ou que, automaticamente, largará o pecado; mas, como assumiu sua fé em Jesus, deverá investir em seu relacionamento com Ele e assim terá forças para lutar contra todas as investidas do mal.

“O batismo estabelece a escolha de uma nova maneira de viver, a sua vontade deixa de prevalecer porque agora é dependente da vontade de Deus sobre a sua vida”, completa o bispo.

Batismo de crianças

Uma pessoa só está preparada para ser batizada depois de ter consciência dos pecados cometidos e se arrepender.

“Essa é a grande razão pela qual não podemos batizar crianças. Elas devem, sim, ser apresentadas a Deus, conforme está escrito: Então, tomando-as nos braços e impondo-lhes as mãos, as abençoava. (Marcos 10.16)”, acrescenta o bispo Macedo.

Nas reuniões de quarta-feira você pode aprender mais sobre a conversão, a fé e como ter um relacionamento íntimo com Deus. Participe na Universal mais próxima de sua casa. Encontre o endereço clicando aqui.


Por que o batismo nas águas é muito mais do que um banho
  • Por Rafaella Rizzo / Foto: Thinkstock 


reportar erro