Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 5 de abril de 2019 - 08:53


Palestra ensina a pais como desconectar filhos da internet

80% das crianças e adolescentes estão no mundo virtual, aponta pesquisa

No mês de abril, o programa social Escola de Mães oferecerá, no Brasil e em mais 30 países, a palestra “Os filhos do quarto”.  O objetivo é ajudar os pais a resgatar o diálogo com seus filhos, ensinando-os a ter equilíbrio no uso das redes sociais. Em São Paulo, o evento será realizado no dia 7/4, no Templo de Salomão, às 16h.  Segundo uma pesquisa divulgada recentemente pelo Comitê Gestor da Internet (CGI), 80% das crianças com idade entre 9 e 17 anos estão conectadas à internet.

Para a psicóloga e coordenadora do programa social, Néia Dutra, é de extrema importância os pais darem responsabilidades aos filhos dentro da própria rotina familiar, para que os jovens entendam que existe uma vida real, além das redes sociais.

“Os filhos se isolam dentro do seu próprio quarto, munidos com fones de ouvidos e conectados com ‘seus mundos’. Não abrem para a sua família a mesma janela que escancaram ao usar a internet”, explicou Néia.

Ela também avalia que a falta de interação com os filhos, pode fazer com que os pais percam a autonomia de educadores para o mundo virtual. “Nos dias de hoje, as redes sociais são os piores professores de crianças e adolescentes. Se os pais não tiverem controle do que está sendo ensinado para os seus filhos, essas crianças terão a educação do mundo e não a de seus pais”, concluiu a coordenadora.

De acordo com o levantamento do CGI, a maioria das crianças confessa mentir a idade nas redes sociais. Um dos motivos para isso pode ser a proibição do Facebook para menores de 13 anos.  Apenas 38% dos pais entrevistados disseram ter noção de todas as ações que os filhos realizam na web.

Saiba mais sobre o programa social

A Escola de Mães valoriza e presta assistência à todas os pais que desejam vencer os desafios de criar filhos na atualidade.

As atividades englobam palestras e orientações individuais, nas quais os pais recebem o suporte para educar e manter uma relação cotidiana saudável com os seus filhos, sempre com base nos valores da família.

O grupo também realiza ações sociais nas comunidades, hospitais e em presídios femininos.

No ano passado, mais de 263 mil pessoas foram beneficiadas pelo grupo.

Caso tenha interesse em participar, acesse: http://www.godllywood.com/escolademaes/


  • Unicom / Foto: iStock 


reportar erro