Rede aleluia
O pior tipo de pobreza que existe
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 20 de Janeiro de 2021 - 19:00


O pior tipo de pobreza que existe

Você já pensou sobre este assunto? Confira esta mensagem do Bispo Renato Cardoso

O pior tipo de pobreza que existe

Há muitas pessoas que são capazes de fazer qualquer coisa por dinheiro. Entretanto, o dinheiro só tem poder sobre aqueles que são pobres de princípios.

“O dinheiro, nós sabemos, é uma necessidade do ser humano. Desde que o homem caiu em pecado, lá no Éden, ele teve de trabalhar para ter o seu sustento. Ele desobedeceu a Deus que tinha dado tudo para ele de graça. Mas, como consequência desse erro, até hoje a humanidade precisa trabalhar para se sustentar. Então, dinheiro faz parte disso e ninguém vive sem. Mas quando a pessoa tem uma pobreza de princípios e ela entende que muito dinheiro pode proporcionar uma vida mais confortável, mais poder, mais bens, a pessoa começa a buscar o dinheiro como se fosse o seu propósito de vida”, observou o Bispo Renato Cardoso, durante a programação “Inteligência e fé“, do dia 20 de janeiro.

É interessante notar como isso ecoa em toda a sociedade. Pois, já na infância, as pessoas são incentivadas pelos pais a enriquecerem. Então, elas crescem com a mentalidade de que dinheiro é sinônimo de felicidade, proteção e capacidade, por exemplo.

O dinheiro é um péssimo senhor

Não é que a pessoa deva desejar viver na miséria. Mas, o problema dessa mentalidade é que a pessoa pode realizar absurdos em nome do dinheiro. Ela é capaz de mentir, roubar bens de pessoas necessitadas, participar de esquemas de corrupção, assassinar, enganar outras pessoas, saquear a empresa em que trabalha. Enfim, o ser humano passa a ser dominado por um comportamento que o distancia dos princípios Divinos.

Só para ilustrar, recentemente, a crise do Amazonas com relação ao combate da COVID-19 ganhou noticiários até no exterior. Entretanto, apesar do Governo Federal ter destinado 1,9 bilhão de reais para a Saúde e 8,9 bilhões de reais para o estado e os municípios, os ventiladores comprados custaram até 4 vezes o valor de mercado. Para piorar, os equipamentos foram considerados inadequados para o uso de pacientes com a COVID-19.

“Você entende, agora, porque isso acontece. O dinheiro tem um poder imenso sobre os pobres de princípios. O dinheiro compra essa pessoa. Ela é instruída pelas próprias ambições. Pior do que ser pobre de dinheiro, é ser pobre de valores, de caráter. Mas esse mesmo ‘deus’, chamado Mamon, vai lhe dar a sua recompensa. Não tenha dúvida de que Mamon sabe punir os seus adoradores“, alertou o Bispo fazendo uma referência à passagem de Mateus 6:24.

Por isso, não coloque o seu coração nas finanças. Deus sabe das suas necessidades materiais e como um bom Pai, Ele nos provê o pão nosso de cada dia. Então, coloque em prática a gratidão em sua vida. Priorize os princípios de Deus no seu dia a dia.

Você pode encontrar outras mensagens como esta na página oficial do Bispo Renato Cardoso no Youtube. Confira.


O pior tipo de pobreza que existe
  • Da Redação / Foto: Getty Images 


reportar erro