Rede aleluia
O jejum que não agrada a Deus
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 14 de Outubro de 2021 - 23:58


O jejum que não agrada a Deus

Confira a explicação, exibida durante recente edição do programa Obreiros em Foco

O jejum que não agrada a Deus

Durante o Obreiros em Foco desta quarta-feira, 13 de outubro, uma internauta perguntou [por meio do WhatsApp do programa] como se caracteriza um “jejum que não agrada a Deus”, descrito na Bíblia, no livro de Zacarias 7.

“Fala a todo o povo desta terra, e aos sacerdotes, dizendo: Quando jejuastes, e pranteastes, no quinto e no sétimo mês, durante estes setenta anos, porventura, foi mesmo para mim que jejuastes?” Zacarias 7:5

Essa é uma dúvida que pode gerar discussões distintas, mas o Bispo Antônio Carlos (que esclareceu a dúvida, durante participação no programa) ressaltou o que, de fato, deve ser evitado ao realizar um jejum. Sendo esta uma ação que tem como princípio a consagração ao Senhor, por meio de alguma privação carnal. “Temos que fugir da hipocrisia e o jejum precisa ser transparente e sincero”, disse.

Ele ainda ensinou a necessidade de evitar a falsidade e uma atitude que tenta demonstrar o que, na verdade, não é. “O próprio Senhor Jesus se referiu à questão do jejuar em que não devemos ficar contristado, [ou seja] mostrar o semblante caído”, explicou. “Pois, o jejuar é para Deus e, para isso, precisa haver uma sinceridade”, completou.

Dureza do coração

No mesmo trecho bíblico ensina que os que não realizam o jejum com franqueza e honestidade são comparados com a dureza de um diamante, ou seja, praticamente impossível de ser quebrado. Veja:

“Sim, fizeram os seus corações como pedra de diamante, para que não ouvissem a lei, nem as palavras que o Senhor dos Exércitos enviara pelo seu Espírito por intermédio dos primeiros profetas; daí veio a grande ira do Senhor dos Exércitos.” Zacarias 7:12

Sobre isso, o Bispo Antônio destacou que quem faz o jejum somente para aparecer para os outros – e não como consagração para Deus – é tão rígido e inflexível como a pedra de diamante, um dos elementos mais duros da natureza.

Aproveitando a pergunta, o Bispo Júlio Freitas lembrou o propósito dos três dias de concordância em oração e jejum, iniciado nesta quinta-feira, 14 de outubro, seguindo até sábado (16). Procure uma Universal mais próxima de você e participe!

O programa Obreiros em Foco é realizado pelo Bispo Júlio Freitas e exibido de segunda a sábado, às 22h, pelo Facebook, pelo canal no YouTube, pela Rede Aleluia de rádio ou pelo canal 21 da TV aberta. Acompanhe!


O jejum que não agrada a Deus
  • Isabel Tavares / Foto: iStock 


reportar erro