Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 16 de Maio de 2017 - 03:15


Núcleos de oração ganham força em São Tomé e Príncipe

Essa tem sido uma ferramenta fundamental para alcançar os sofridos

Núcleo de oração ao ar livre e nas casas das pessoas é um dos métodos utilizados pela Universal na realização do trabalho evangelístico no Brasil e em outros países.

E é por meio dessa ferramenta tão eficaz que o bispo Rangel Silva, responsável pela Universal em São Tomé e Príncipe, tem alcançado a população sofrida desse país africano, localizado ao largo da costa ocidental da África, no Golfo da Guiné. Ele é formado por duas ilhas principais: a Ilha de São Tomé e a Ilha do Príncipe, além de outras menores.

O português é a língua oficial do país, que tem 95% da sua população cristã, a maioria católica. Sobrevivem da agricultura e da pesca.

O bispo Rangel destaca que o povo são-tomeense é acolhedor, bem parecido com o brasileiro, e aceita facilmente a Palavra de Deus. Assim como o brasileiro, é um povo sofrido e, como em todos os lugares do mundo, sofre com problemas financeiros, de saúde e familiares. “Estou me sentindo no Brasil. Em todo lugar do mundo nós fazemos a mesma coisa: ganhamos almas.”

Desde a sua chegada ao país, há 3 meses, o bispo tem concentrado o trabalho evangelístico na abertura de núcleos de oração nos distritos, vilas e povoados. “O nosso desafio é ganhar essas ilhas para o Senhor Jesus. Tem que haver uma revolução. O verdadeiro Deus tem de ser glorificado, através das almas salvas para Ele. Para isso acontecer, trabalhamos incessantemente.”

Ribeiro Afonso é um dos distritos em que é realizado um núcleo de oração. Cerca de 60 pessoas comparecem ao local para receber oração e ouvir uma mensagem de fé. E a cada semana esse número aumenta. As reuniões são feitas ao ar livre, às terças-feiras e aos domingos. No último dia 9 de maio, 105 pessoas estiveram presentes. “Em breve teremos uma igreja, essa é a finalidade”, revela o bispo.

O bispo Rangel relata que houve muitos milagres — curas e libertações –, mas destaca: “Falei da importância do maior milagre: a Salvação.” E o fruto desse trabalho já pode ser visto: “Já há mais de 20 pessoas que irão se batizar”, comemora.

Nesses 3 meses de trabalho incessante que vem sendo realizado nos 19 templos espalhados por todo o país, bem como nos núcleos de oração, mais de 250 pessoas se batizaram nas águas. Cento e cinco batismos foram realizados no último domingo do mês de abril.

Para saber mais sobre o trabalho evangelístico da Universal no exterior, clique aqui.

Veja mais fotos do trabalho da Universal em São Tomé e Príncipe na galeria abaixo:


  • Por Jeane Vidal / Fotos: Cedidas 


reportar erro