Rede aleluia
Novamente, polícia angolana é truculenta e agride fiéis da Universal
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 31 de Março de 2021 - 00:15


Novamente, polícia angolana é truculenta e agride fiéis da Universal

Em protesto pacífico, pastores e membros foram agredidos em frente à sede nacional da Universal no país

Novamente, polícia angolana é truculenta e agride fiéis da Universal

Mais uma vez, a polícia nacional da Angola agiu de maneira truculenta contra fiéis da Universal. Desta vez, no sábado último, dia 27 de março, quando os fiéis protestavam em frente ao templo da Universal. O último episódio de violência havia acontecido quatro dias antes. Veja aqui.

Os agentes policiais agrediram pastores e fiéis que apenas pediam por justiça, além de também louvarem a Deus. Contudo, mesmo diante de um protesto pacífico, os policiais não hesitaram em partir para agressão. Pelo contrário, mesmo com pessoas de joelhos, suplicando por misericórdia, as agressões aconteceram.

Eles foram às ruas, após as autoridades angolanas reconhecerem um grupo de dissidentes como parte da nova liderança da igreja local. Vale ressaltar que esse grupo é formado por ex-pastores que foram expulsos da instituição após relatos de roubos e traições.

Acompanhe, no vídeo abaixo, parte da reação truculenta da polícia local:

O Pastor Claudio Marques esteve no protesto do último sábado (27) e afirmou que foi vítima de agressão. Ele, que já foi missionário em diversos países, afirma que nunca foi tão maltratado por autoridades policiais como em sua terra.

“Quando uma pessoa se rende e coloca a mão na cabeça, o máximo que eles podem fazer é algemar, mas não foi isso que eles fizeram. Dois policiais me bateram com cacetete, a ponto de quebrarem meu braço”, afirmou.

Veja o depoimento do pastor Claudio no vídeo abaixo:

A Record TV Angola flagrou os momentos de agressão no protesto, que era completamente pacífico. Em entrevista à emissora, o Bispo Alberto Segunda, que também foi agredido pelos policiais, afirmou que a única ação do grupo foi clamar diante do templo.

“Fui agredido fortemente pela polícia nacional. Tudo o que nós fizemos foi clamar e orar para que a justiça seja feita. Porque os que cometeram crimes até hoje estão impunes. Estão com as igrejas que eles roubaram abertas e nossa sede nacional continua fechada. Por isso, fica bem claro que nós somos angolanos e não aceitamos essa situação, e tudo o que nós queremos é justiça. E nós vamos continuar a lutar pela nossa igreja, pelo nosso direito como cristãos”, pontuou.

À despeito da reação policial, os cristãos em angola seguem orando pela Universal e pelo direito a praticarem a sua fé. Veja, no vídeo abaixo, a força da fé dos angolanos:

Confira também a reportagem da Record TV:


Novamente, polícia angolana é truculenta e agride fiéis da Universal
  • Rafaela Dias / Fotos: Reprodução 


reportar erro