Rede aleluia
Morre o primeiro obreiro da Universal
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 26 de Outubro de 2021 - 18:30


Morre o primeiro obreiro da Universal

Senhor Albino Silva foi quem ajudou o Bispo Edir Macedo no início da Igreja

Morre o primeiro obreiro da Universal

Morreu, nesta terça-feira 26 de outubro, o senhor Albino da Silva, o primeiro obreiro da Universal, no Rio de Janeiro. Ele deixa filhos, netos e amigos de Obra, que ganhou durante os anos que serviu a Deus como obreiro.

Papel importante

O senhor Albino foi o primeiro obreiro da Universal e trabalhou ao lado do Bispo Edir Macedo no Coreto do Méier, no Rio de Janeiro, no início da Universal.

Por sua trajetória de fé, teve sua história registrada no livro e no filme “Nada a Perder”, que contam a história do Bispo Edir Macedo.

“Um dia, inconformado como sempre vivia, encontrei um dos primeiros participantes dos movimentos de fé no coreto do Méier. Albino Silva da Costa, mais conhecido como Seu Albino, era um metalúrgico de classe média da zona norte do Rio, na época com 53 anos, atormentado por graves problemas com toda a sua família”, diz o Bispo Edir Macedo em seu livro.

Após conhecer o Senhor Jesus, seu Albino teve a saúde da esposa restaurada e passou a trabalhar para que outras pessoas encontrassem o mesmo que ele encontrou.

“A gratidão pelo apoio espiritual foi tanta que Seu Albino se tornou meu parceiro para novas realizações. Descontraído após um dos cultos, em uma conversa descompromissada no Méier, comentei com ele sobre um importante passo que sonhava dar no meu ministério”, lembra o Bispo.

Esse importante passo a que o Bispo se referia era a abertura da primeira igreja, que o próprio senhor Albino encontrou o espaço para locação.

E não somente isto. O seu Albino também presenciou um grande marco na vida do Bispo Edir Macedo àquela época.

“Seu Albino foi quem me presenteou com o terno que vesti naquela cerimônia tão especial [a cerimônia de consagração a pastor, na inauguração da igreja]. Uma foto histórica, em preto e branco, registrou Ester, eu e minhas filhas ao lado da família de Seu Albino ao fim do culto da minha consagração. Foi um momento inesquecível. Assim como quando o Espírito Santo nos deu a inspiração de transmitir um recado claro e objetivo nas portas e nos altares da Igreja Universal”, destaca o Bispo.

A deputada estadual Edna Macedo, irmã do Bispo Edir Macedo, utilizou as redes sociais para lembrar do importante papel do senhor Albino no início da Universal.

“Vale ressaltar que ele foi um dos primeiros obreiros da Igreja Universal do Reino de Deus, e sempre foi um exemplo de força, dedicação e fé a todos que desfrutaram de sua presença”, disse a deputada, que ainda prestou condolências à família.

“Neste momento nos unimos em oração à sua família e amigos para que esta perda possa ser compreendida com a esperança que o Sr. Albino está diante do Autor e Consumador de nossa fé: o Senhor Jesus Cristo.”

“Preciosa é à vista do Senhor a morte dos seus santos.” Salmos 116:15

Aqueles que creem, entendem que o senhor Albino, agora, descansa e encontra a eternidade que buscou quando esteve em vida.

“A morte dos fiéis é preciosa para o Altíssimo porque, a partir desse momento, eles entram na eternidade. Deus é zeloso com os Seus filhos e não os abandona em tempo algum, principalmente em circunstâncias de perigo, dor e morte. Se os justos encaram firmes os seus dias finais, seu testemunho de fé funciona como uma semente valiosa com o propósito de evangelizar os ímpios”, diz o Bispo Edir Macedo, em comentário na Bíblia Fiel em comemoração aos 40 anos da Universal.


Morre o primeiro obreiro da Universal
  • Rafaela Dias / Fotos: Arquivo 


reportar erro