Rede aleluia
Monumento em homenagem à Reforma Protestante é vandalizado em Genebra
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 17 de julho de 2019 - 10:11


Monumento em homenagem à Reforma Protestante é vandalizado em Genebra

No mundo todo acontece perseguição aos cristãos e atos de ódio aos símbolos da fé. Veja o que o Senhor Jesus alerta para seus seguidores

Monumento em homenagem à Reforma Protestante é vandalizado em Genebra

Na última segunda-feira (15), o monumento em homenagem à reforma Protestante, uma das principais atrações turísticas de Genebra, Suíça, amanheceu pichado com as cores do arco-íris, símbolo do movimento LGBT.

Não é a primeira vez que a obra, que representa os quatro reformadores Guilherme Farel, João Calvino, Teodoro de Beza e João Knox,  é vandalizada. Recentemente, ativistas feministas escreveram na parede: “Onde estão as mulheres?”.

A Reforma Protestante, acontecida em meados do Século XVI, foi um movimento que avivou a fé dos cristãos e desestruturou o catolicismo.

O conselho da cidade de Genebra registrará uma queixa e o monumento será limpo o mais rápido possível.

A página oficial do Facebook da Federação Genebrense das Associações LGBT compartilhou uma mensagem que diz: “e se fossem justamente estes que tinham manchado os reformadores para lançar a vergonha sobre as pessoas lgbt+?”, tentando descolar o movimento do ato de vandalismo. Entretanto, não está sendo fácil fazer essa desassociação,  já que o monumento se encontra em frente a um pavilhão que ocorre a exposição “Genebra, orgulhosa da sua história LGBTIQ+”.

Perseguição à fé cristã

Não é somente em Genebra que ocorre a perseguição aos cristãos e aos símbolos da fé.

No dia 29 de junho, por exemplo, a Assembleia Legislativa do Estado da Califórnia, Estados Unidos, decidiu que evangelistas não podem mais abordar o ponto de vista cristão sobre homossexualidade. Isso porque, segundo entendimento dos legisladores, falar biblicamente a respeito da homossexualidade causa depressão e suicídios.

O assunto agora segue para análise e votação no Senado.

Mais perseguição

No mesmo mês, uma escola do Estado de Ohio – do outro lado dos Estados Unidos – foi obrigada a remover um monumento exposto há 92 anos (foto ao lado). Trata-se de uma placa que ilustra os Dez Mandamentos.

O grupo Freedom From Religion Foundation alegou que a obra fere a Constituição, já que essa defende a separação entre igreja e Estado. O sistema judiciário local aceitou a acusação e obrigou a escola a remover o monumento.

Palavras de Jesus

Sabendo das aflições que seus seguidores enfrentariam, o Senhor Jesus afirma:

“Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus;” Mateus 5.10

Sobre esse versículo, na Bíblia Fiel comentada, o Bispo Edir Macedo explica que a maior prova de que a pessoa é de Deus e está andando de acordo com a Sua Palavra são as perseguições que se levantam contra ela. Isso porque, outrora, ela vivia uma vida injusta diante de Deus, porque estava entregue às próprias vontades e desejos, mas não sofria qualquer tipo de represália por parte deste mundo por viver assim.

“Porém, quando deixamos a vida de pecados e passamos a viver conforme a justiça Divina, as perseguições se levantaram ferozmente contra nós (2Tm 3.12). Há um confronto entre o Reino de Deus e o reino das trevas (2Co 6.14-15). Muitos de nós também perseguíamos e criticávamos as pessoas que professavam a fé no Senhor Jesus, mas, pela bondade de Deus, fomos alcançados pelo Evangelho da Salvação. Hoje, de críticos e perseguidores, passamos a ser perseguidos. Por isso, devemos orar e tratar com misericórdia os perseguidores, para que eles conheçam a Salvação assim como nós conhecemos”, aconselha.


Monumento em homenagem à Reforma Protestante é vandalizado em Genebra
  • Por Cinthia Meibach/  Com informações e Foto: LemanBleu.ch e divulgação 


reportar erro