Rede aleluia

Notícias | 17 de agosto de 2017 - 03:05


“Meu marido é viciado em pornografia”

Veja o que Renato e Cristiane Cardoso pensam sobre este assunto

A cada dia que passa as pessoas estão mais viciadas em seus smartphones. Algumas chegam a trocar os relacionamentos reais pelos virtuais, o que as prejudica em todas as áreas da vida, inclusive na amorosa. Uma amiga que não quis se identificar está passando por esse dilema. Seu esposo, viciado em celular, não a procura. Veja o que os professores Renato e Cristiane Cardoso a aconselharam a fazer.

Aluna – Tenho mais de 15 anos de casada, mas, de um tempo para cá, meu marido ficou viciado em celular. Ele recebe vídeos de mulheres nuas e repassa os vídeos. Faz questão de dormir tarde para ficar olhando vídeos e fotos e depois diz que me ama. Já conversei com ele isso, mas ele alegou que homem é assim mesmo e que nem os que são da igreja são santos. Não sei mais o que fazer. Se temos relações sexuais quatro vezes por mês é muito e quando ele me procura faz de qualquer jeito, como se fosse um coelho. Não sei mais o que sinto por ele. Tenho um homem só para dizer que sou casada? O que devo fazer? Largar mão dele e buscar ajuda para mim primeiro ou não falar mais nada? Me ajudem.

Cristiane – Amiga, você já falou com ele, mas não o que deveria. Se ele sempre responde que todo homem é assim mesmo, quer dizer que o que você diz não está adiantando, mas isso não significa que você tenha que parar de falar. Você precisa ser mais radical no modo que trata a situação. Se o seu marido não quiser mudar, ele precisará assumir as consequências dos seus atos. É isso que você deve levar em consideração, pois já viu que só falar não resolve.

Renato – Até agora não houve nenhuma consequência. Você reclama, ele dá uma desculpa e o que acontece? Ele continua vendo pornografia e, como você mesmo disse, busca você como se fossem dois coelhos e você se sujeita a isso. O que precisa fazer não usar mais as palavras, mas tomar uma decisão e, se ele insistir em dizer que todo homem é assim, você deve responder que o seu marido não é e que, para que ele continue sendo seu esposo, terá que ser melhor que os outros que existem por aí, pois você não é qualquer mulher. Peça para que ele escolha entre a pornografia e você, pois você deseja que ele a faça se sentir mulher. Se ele falar que não vai mudar, então simplesmente pegue suas coisas e vá para a casa de sua mãe ou pegue o cartão de crédito dele e alugue um quarto de hotel. Veja o que ele vai fazer, faça-o ver as consequências de suas atitudes.

Cristiane – Às vezes, a mulher pensa que ficar chateada, irritada e sem falar com o marido é uma consequência. Isso não muda o homem, não o faz tomar uma decisão. Amiga, exija que o seu relacionamento esteja nos padrões de quando vocês se comprometeram no dia do casamento.

Renato – Diga que você quer que ele tenha prazer sexual como nunca teve, que quer levá-lo às estrelas, mas que para isso ele tem que levá-la também, o que não vai acontecer se ele estiver envolvido com pornografia. Coloque suas condições e disponha-se a trabalhar com ele, mas, se ele não quiser trabalhar com você, então não se sujeite a isso. Amiga, não estou dizendo para você se divorciar dele, mas estou falando para você sair deste relacionamento enquanto ele não mudar de atitude. Se fizer isso, quando ele chegar em casa e vir que você não está, entrará em pânico.

Cristiane – Ele tem uma visão muito errada do que é ser marido e do que é ser um homem. Então, quando você pede para que ele mude, ele acha que você está pedindo para que ele deixe de ser homem.

Renato – Você, a própria mulher dele, sente falta do sexo e ele acha que está sendo o machão vendo pornografia. Vou aproveitar e falar com todos os homens que ficam no quarto ou no banheiro usando o celular e se masturbando. A você, que caiu na história de que todo homem vê pornografia, eu digo: eu não vejo! Poderia ver, há abundância desse material na internet, poderia apagar o histórico do meu computador para que minha esposa não saiba, mas eu, como homem, estou no domínio dos meus desejos e isso é definição de homem. Coloque tudo na balança e não fale que não consegue deixar de ver, pois consegue sim, mas para isso primeiro você deve tomar vergonha na cara.

Para saber mais como resolver os problemas da vida amorosa, participe das palestras da Terapia do Amor, todas às quintas-feiras, em uma Universal mais próxima de você. A cada palestra, casais, noivos, namorados e solteiros aprendem sobre o amor inteligente e como desenvolver o relacionamento a dois.

Na próxima palestra: Como vencer o vício, o principal inimigo do amor

Muitos relacionamentos têm sido destruídos por um inimigo silencioso: o vício.

Seja por conta de…

– Jogos

– Drogas
– Bebidas
– Pornografia

Ele acaba com a felicidade amorosa de qualquer casal. á pessoas que hoje estão separadas outras não conseguem nem ao menos iniciar uma relação por causa da dependência que têm.

A verdade é que tanto o viciado quanto o cônjuge são vítimas e sofrem muito. Quando há um vício há muita tristeza.

Então, se você está passando por essa situação, se sente impotente e frustrado em relação ao seu vício ou o do seu parceiro, esteja presente na próxima palestra da Terapia do Amor.

Venha descobrir que ferramentas usar para conseguir a cura desse mal que tem prejudicado sua relação.

A Terapia do Amor acontece no Templo de Salomão e também em outras localidades. Encontre o endereço mais próximo de você aqui: http://www.universal.org/enderecosTerapia/

Confira horário e local abaixo:

ENTRADA GRATUITA

Templo de Salomão (Av. Celso Garcia, 605 – Brás, São Paulo)

10h e 20h – palestra com Renato e Cristiane Cardoso
15h – palestra com Carlos e Cintia Cucato

Horários também no Templo Auxiliar (Ao lado do Templo de Salomão)

7h – palestra com Walber e Patrícia Barboza
12h – palestra com Walber e Patrícia Barboza

Portas se fecham 5 minutos antes do início da palestra.

Tempo de duração: 1 hora e 40 minutos

Estacionamento no local – ver mapa: https://goo.gl/maps/wGvXo

Informações: info@otemplodesalomao.com ou ligue para (11) 5644-5210 ou (11) 2392-3553


  • Por Rafaela Dias / Foto: Fotolia 


reportar erro