Rede aleluia
“Meu marido é amigo da ex-amante. O que eu faço?”
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 28 de Março de 2021 - 00:00


“Meu marido é amigo da ex-amante. O que eu faço?”

A pergunta revela um erro muito comum nos relacionamentos

“Meu marido é amigo da ex-amante. O que eu faço?”

Na Escola do Amor Responde desta edição, uma aluna pede ajuda de Renato e Cristiane Cardoso para lidar com o comportamento do marido depois que ela descobriu que ele a estava traindo. A pergunta dela revela um erro muito comum nos relacionamentos: a falta de um posicionamento correto.

Confira as orientações que os professores deram à aluna.

Elaine – Há quatro meses descobri que meu marido estava me traindo. Ele terminou o relacionamento com a amante, mas a manteve como amiga. Eles se falam quase todos os dias. Eu já conversei com ele, mas até agora ele não tomou uma posição quanto a isso.

RENATO – Não sei que tipo de término é esse. Na cabecinha dela o marido terminou com a amante. Ela não entende que precisa tomar uma posição a respeito disso.

CRISTIANE – Existe um erro que é muito comum: pensar que quem errou é que tem que fazer certas mudanças. Assim, coloca-se toda a responsabilidade do que tem de ser feito no relacionamento nas mãos da pessoa errada, justamente de quem errou e não quer se corrigir. No fundo, seu marido quer manter o que ele tinha com a amante e ele sabe que pode porque você não se posiciona. Você só vai ficar brigando, de cara feia, de “mal” e isso passa depois de uns dias. Ele aguenta. Os dois – a pessoa que errou e a traída – têm que fazer alguma coisa. Por exemplo, você pode falar: “se você não vai fazer a sua parte, eu vou fazer a minha, alguma coisa vai acontecer aqui e algo terá que mudar”.

RENATO – Imagine o que acontece se você deixar a decisão da sua vida nas mãos de uma pessoa que está mal, que não está operando seguindo bons princípios e com juízo? Você está deixando a decisão da sua vida nas mãos do seu marido e ele não tem condição nenhuma de decidir nem por ele e muito menos por você. Então, você se engana quando diz que ele até agora não tomou uma posição. Ele já tomou uma posição. Não é a que você quer, mas ele já tomou a decisão dele.

CRISTIANE – Aliás, vocês dois já tomaram suas posições. Você também já tomou a sua: de aceitar. Apesar de falar que não aceita a situação, você está tolerando quando deixa tudo como está. Essa também é uma posição.

RENATO – Ao continuar falando com a amante, ele está tomando uma posição: ele quer continuar com a amante. Quando você não faz nada, apesar de saber que ele está falando com a amante, você também está tomando uma posição, que é a seguinte: “vou tolerar isso porque eu o amo tanto que estou disposta a esperar que ele decida entre nós duas”. Esta é a sua posição. Então, se você quer uma mudança, a sua posição correta deveria ser: “fui! Você não me valorizou, não me respeitou, me traiu e, por isso, você não me merece. Saia desta casa”. Ou, se a situação não permitir que isso ocorra, é você quem deve se retirar. Não precisa fazer discurso para explicar a ele por que está saindo. Deixe que ele procure saber. Isso é posicionamento. Quando você se posiciona com base no valor próprio, você ensina a outra pessoa que, para que ela tenha um relacionamento com você, ela terá de valorizá-la porque você se valoriza em primeiro lugar. Se você não se posiciona, o outro faz de você o proverbial “gato e sapato”.


“Meu marido é amigo da ex-amante. O que eu faço?”
  • Redação / Foto: Getty Image 


reportar erro