Rede aleluia
Mais de 10 mil pessoas são atendidas em ação social simultânea na África do Sul
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 15 de Julho de 2021 - 14:14


Mais de 10 mil pessoas são atendidas em ação social simultânea na África do Sul

Cerca de 800 voluntários da Universal levaram alimento físico e uma palavra de fé a moradores de comunidades e pessoas em situação de rua em várias regiões do país

Mais de 10 mil pessoas são atendidas em ação social simultânea na África do Sul

A África do Sul é o país mais afetado pela pandemia de COVID-19 no continente africano. Passando dos 2 milhões de casos e cerca de 65 mil mortes. Desde o início do mês de junho último, uma terceira onda fez os números dispararem. Com medidas de restrições mais rígidas nas últimas semanas, além de uma onda de violência com viés político que vem assolando o país, várias regiões enfrentam grandes dificuldades no enfrentamento deste cenário.

As reuniões presenciais nas igrejas — que já estavam sendo realizadas com capacidade reduzida para 50 pessoas — também foram proibidas. Diante disso, obedecendo às restrições do governo sul-africano e respeitando as normas sanitárias e o distanciamento social seguro, voluntários dos grupos da Universal no país levam atendimento social e espiritual àqueles que mais necessitam de ajuda neste momento, em comunidades e nas ruas.

Mais de 10 mil pessoas atendidas

Além das orações e reuniões online, e das visitas aos lares e aconselhamentos individuais, no dia 9 de julho último — quando a Universal completou 44 anos — , uma ação simultânea alcançou diversas regiões da África do Sul. Mais de 10 mil pessoas foram beneficiadas com doações de cestas básicas, roupas, kits de higiene, máscaras e álcool em gel.

A voluntária do grupo Calebe, Florence Ngidi, de 65 anos, falou sobre o impacto deste trabalho. “A ação teve um grande impacto, já que estamos em uma pandemia e muitas pessoas perderam o emprego. Elas estão enfrentando dificuldades para alimentar suas famílias. Por isso, o que fizemos levou esperança a elas”, disse.

Uma dessas pessoas atendidas pela ação foi Malifa Moshidi, de 41 anos. “Estou desempregada. Aqui, somos sete pessoas morando em um barraco. Agradeço a Universal por trazer esta cesta básica na hora certa, pois já não tínhamos mais nada para comer”, contou.

Assim também, Ana Morepe, de 59 anos, moradora do lixão na cidade de Mafikeng, há 20 anos, agradeceu o trabalho social dos voluntários: “Meus filhos e eu coletamos material para reciclagem, mas não estamos conseguindo dinheiro suficiente para nos alimentar. Por isso, agradeço pela doação, pois, há duas semanas que não tínhamos alimentos em casa”, pontuou.

Pessoas em situação de rua

Ademais, principalmente, para as pessoas em situação de rua, que nesta época enfrentam baixas temperaturas, foram doados cobertores e refeições prontas. Muitas delas compõem famílias inteiras (com crianças) que procuram oportunidade nas grandes cidades e não voltam para casa. Bem como, muitos jovens que entram no vício das drogas e fazem das ruas a sua moradia.

“Eu e minha mãe não tínhamos o que comer e nem como conseguir alimentos devido à pandemia. Nessa manhã, a Universal nos trouxe alimento e agradecemos pelo carinho conosco, disse Raeeqah Daniels, de 27 anos. “Durante essa pandemia, meus filhos, que me ajudavam a pagar meu aluguel, perderam seus empregos. E, agora, estou morando nas ruas. Não tinha nada para comer. Agradeço pelo alimento que nos trouxeram”, atestou Shirley Simons, de 59 anos.

O jovem Nico, de 24 anos, contou o que vive morando nas ruas. “Não são muitos que entendem o que é passar fome. Quando você vive nas ruas e os dias passam sem ter nada o que comer. As pessoas te desprezam e não querem nem ao menos olhar para você, devido ao seu estado e aparência. Mas, agradeço a Universal por lembrar de nós”, falou.

“Deus me deu uma chance de recomeçar”

Voluntários como a professora Jeanette Kgatla, do grupo Evangelização, não medem esforços e dedicam o seu tempo a este trabalho: “O que o Senhor Jesus nos deu, estamos dando de volta para a sociedade. Para mim foi um prazer acordar bem cedo, mesmo estando muito frio, e já às 6h da manhã estar cozinhando para essas pessoas que ficaram tão felizes e agradecidas.”

Na ocasião, ainda foi disponibilizado um chuveiro móvel. Eles puderam tomar um banho com água quente e receber roupas limpas. Um dos beneficiados com essa ação foi o jovem Lucky Magwaza, de 23 anos, que há 4 anos está morando nas ruas.

“Meu pai foi preso quando eu tinha apenas um ano de idade, e minha mãe me abandonou. Por causa da rejeição, me envolvi com más companhias. E, antes mesmo de perceber, já estava viciado em drogas e morando nas ruas. Não me lembro a última vez que tomei banho. Hoje, quando os voluntários me convidaram, fiquei muito feliz. A água do banho estava tão boa e quentinha. Tomei café da manhã, recebi roupas novas e depois almocei. Recebi também aconselhamento e oração do pastor. Estou renovado e creio que hoje minha vida começa a mudar, porque Deus me deu uma nova chance de recomeçar. Muito obrigado”, declarou.

Além do alimento físico, uma palavra de fé

Além do alimento físico, foi oferecido aconselhamento, orações e uma palavra de fé, trazendo esperança e alívio para aqueles que estavam desesperados, sem nenhuma perspectiva de vida. Mais de 800 voluntários participaram desta ação em todo o país.

“Ver a alegria no rosto das pessoas ao receberem um copo de sopa e pão, que para alguns é algo tão pequeno, mas para eles era o primeiro ou talvez o único alimento que teriam no dia, nos dá motivo para servir ainda mais”, apontou a cabeleireira Jeanette Mashaba, de 22 anos, voluntária do grupo Força Jovem Universal.

“Agradeço imensamente o que a Universal faz ajudando os menos privilegiados. Não apenas eu, mas muitos outros que são beneficiados com esse trabalho. Mesmo no meio de uma pandemia, vocês não ficaram com os braços cruzados”, afirmou o motorista Eddie Vundla, de 58 anos.

“Este trabalho social foi muito importante para mim. Principalmente nos dias em que estamos vivendo. Muita coisa aconteceu durante esta pandemia e muitos estão passando fome, vivendo nas ruas. Por isso que para mim foi um privilégio poder ajudá-los de alguma forma. E, me faz muito feliz saber que essas pessoas tiveram o que comer hoje”, concluiu a comissária de bordo Sandra Kekana, de 40 anos, voluntária do grupo Evangelização.

Trabalho social da Universal

A saber, a Universal está presente na África do Sul há 29 anos, desenvolvendo programas sociais que auxiliam os segmentos mais fragilizados da população — como ocorre nos 134 países, dos cinco continentes, onde atua.

Além disso, em 2020, os trabalhos sociais da Universal beneficiaram 575 mil sul-africanos, com o apoio de 5,2 mil voluntários.

Para saber mais sobre as ações que a Universal tem realizado durante a pandemia, em vários países, clique aqui. Você também pode fazer a sua parte. Torne-se um voluntário ou entregue a sua doação em uma Universal mais próxima de você.


Mais de 10 mil pessoas são atendidas em ação social simultânea na África do Sul
  • Michele Roza / Fotos: Cedidas 


reportar erro