Rede aleluia

Notícias | 3 de outubro de 2019 - 11:48


Mais de 10 mil batizados em um único dia

O dia 27 de setembro foi uma data especial na vida de 10.363 reclusos

Em todo o Brasil e em mais 50 países aconteceu, no dia 27 de setembro último, um batismo coletivo, realizado em todas as unidades prisionais onde a Universal mantém um trabalho evangelistico, por meio do grupo Universal nos Presídios (UNP).

Exatamente 10.363 reclusos, homens e mulheres, desceram às águas e, a partir desse ato, passaram a ter esperança e paz. “Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito.” (Romanos 8:5).

Decisão consciente

Isso só foi possível porque todos compreenderam que o batismo nas águas é a materialização da fé e o reconhecimento de um Deus Todo-Poderoso. Além disso, é fazer valer o sacrifício do Senhor Jesus na Cruz do Calvário.

Estes princípios são absorvidos através do trabalho de evangelização que é realizado semanalmente nas unidades prisionais. Assim, muitas pessoas que já não tinham esperança de mais nada na vida, descobriram o imenso amor de Deus e abraçaram a oportunidade da salvação.

Sede de liberdade

Para o Pastor Clodoaldo Rocha Oliveira, responsável por este trabalho em todas as unidades prisionais do Brasil e exterior, os reclusos esperam, contando as horas, para receberem a visita da família UNP.

“Em todas as reuniões explicamos que o batismo nas águas é uma decisão pessoal, que implica na mudança de direção. Salientamos que representa assumir publicamente a sua fé e deixar o velho ‘eu’ para trás, e a partir daquele momento ter uma nova vida. Essa tomada de decisão depende exclusivamente de cada um”, explicou o Pastor.

Para finalizar, salientou que todos que convivem com essas pessoas, inclusive os agentes penitenciários e familiares, reconhecem a transformação na postura de cada um. Uns passam a traçar objetivos profissionais para quando forem libertos. Outros retomam o cuidado e carinho com a família.

 


  • Cesar Gonçalves / Fotos: Cedidas UNP Brasil 


reportar erro