Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 6 de março de 2017 - 03:15


Leia a Bíblia em 1 ano – 65º dia

Êxodo 16, Lucas 20 e Jó 35

“O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento…” Oséias 4.6

Conhecer a Bíblia é muito importante para todos nós, especialmente nos momentos mais difíceis de nossas vidas, pois Deus fala conosco por meio de Sua Palavra. O Espírito Santo nos conduz, nos orienta, e quando passamos por tribulações, Ele nos faz lembrar do que está escrito na Bíblia, de uma Palavra de Deus que nos conforte. Mas só nos lembraremos se tivermos conhecimento Dela.

Por isso, elaboramos um plano para que você leia a Bíblia em 1 ano. Se você ainda não começou, clique aqui e comece agora, não deixe para amanhã. Você verá o quanto isso transformará a sua vida.

Se você já está nesse propósito, acompanhe a leitura de hoje:

Êxodo 16

1. E partindo de Elim, toda a congregação dos filhos de Israel veio ao deserto de Sim, que está entre Elim e Sinai, aos quinze dias do mês segundo, depois de sua saída da terra do Egito.

2. E toda a congregação dos filhos de Israel murmurou contra Moisés e contra Arão no deserto.

3. E os filhos de Israel disseram-lhes: Quem dera tivéssemos morrido por mão do Senhor na terra do Egito, quando estávamos sentados junto às panelas de carne, quando comíamos pão até fartar! Porque nos tendes trazido a este deserto, para matardes de fome a toda esta multidão.

4. Então disse o Senhor a Moisés: Eis que vos farei chover pão dos céus, e o povo sairá, e colherá diariamente a porção para cada dia, para que eu o prove se anda em minha lei ou não.

5. E acontecerá, no sexto dia, que prepararão o que colherem; e será o dobro do que colhem cada dia.

6. Então disseram Moisés e Arão a todos os filhos de Israel: À tarde sabereis que o Senhor vos tirou da terra do Egito,

7. E amanhã vereis a glória do Senhor, porquanto ouviu as vossas murmurações contra o Senhor. E quem somos nós, para que murmureis contra nós?

8. Disse mais Moisés: Isso será quando o Senhor à tarde vos der carne para comer, e pela manhã pão a fartar, porquanto o Senhor ouviu as vossas murmurações, com que murmurais contra ele. E quem somos nós? As vossas murmurações não são contra nós, mas sim contra o Senhor.

9. Depois disse Moisés a Arão: Dize a toda a congregação dos filhos de Israel: Chegai-vos à presença do Senhor, porque ouviu as vossas murmurações.

10. E aconteceu que, quando falou Arão a toda a congregação dos filhos de Israel, e eles se viraram para o deserto, eis que a glória do Senhor apareceu na nuvem.

11. E o Senhor falou a Moisés, dizendo:

12. Tenho ouvido as murmurações dos filhos de Israel. Fala-lhes, dizendo: Entre as duas tardes comereis carne, e pela manhã vos fartareis de pão; e sabereis que eu sou o Senhor vosso Deus.

13. E aconteceu que à tarde subiram codornizes, e cobriram o arraial; e pela manhã jazia o orvalho ao redor do arraial.

14. E quando o orvalho se levantou, eis que sobre a face do deserto estava uma coisa miúda, redonda, miúda como a geada sobre a terra.

15. E, vendo-a os filhos de Israel, disseram uns aos outros: Que é isto? Porque não sabiam o que era. Disselhes pois Moisés: Este é o pão que o Senhor vos deu para comer.

16. E sta é a palavra que o Senhor tem mandado: Colhei dele cada um conforme ao que pode comer, um ômer por cabeça, segundo o número das vossas almas; cada um tomará para os que se acharem na sua tenda.

17. E os filhos de Israel fizeram assim; e colheram, uns mais e outros menos.

18. Porém, medindo-o com o ômer, não sobejava ao que colhera muito, nem faltava ao que colhera pouco; cada um colheu tanto quanto podia comer.

19. E disse-lhes Moisés: Ninguém deixe dele para amanhã.

20. Eles, porém, não deram ouvidos a Moisés, antes alguns deles deixaram dele para o dia seguinte; e criou bichos, e cheirava mal; por isso indignou-se Moisés contra eles.

21. Eles, pois, o colhiam cada manhã, cada um conforme ao que podia comer; porque, aquecendo o sol, derretia-se.

22. E aconteceu que ao sexto dia colheram pão em dobro, dois ômeres para cada um; e todos os príncipes da congregação vieram, e contaram-no a Moisés.

23. E ele disse-lhes: Isto é o que o Senhor tem dito: Amanhã é repouso, o santo sábado do Senhor; o que quiserdes cozer no forno, cozei-o, e o que quiserdes cozer em água, cozei-o em água; e tudo o que sobejar, guardai para vós até amanhã.

24. E guardaram-no até o dia seguinte, como Moisés tinha ordenado; e não cheirou mal nem nele houve algum bicho.

25. Então disse Moisés: Comei-o hoje, porquanto hoje é o sábado do Senhor; hoje não o achareis no campo.

26. Seis dias o colhereis, mas o sétimo dia é o sábado; nele não haverá.

27. E aconteceu ao sétimo dia, que alguns do povo saíram para colher, mas não o acharam.

28. Então disse o Senhor a Moisés: Até quando recusareis guardar os meus mandamentos e as minhas leis?

29. Vede, porquanto o Senhor vos deu o sábado, portanto ele no sexto dia vos dá pão para dois dias; cada um fique no seu lugar, ninguém saia do seu lugar no sétimo dia.

30. Assim repousou o povo no sétimo dia.

31. E chamou a casa de Israel o seu nome maná; e era como semente de coentro branco, e o seu sabor como bolos de mel.

32. E disse Moisés: Esta é a palavra que o Senhor tem mandado: Encherás um ômer dele e guardá-lo-ás para as vossas gerações, para que vejam o pão que vos tenho dado a comer neste deserto, quando eu vos tirei da terra do Egito.

33. Disse também Moisés a Arão: Toma um vaso, e põe nele um ômer cheio de maná, e coloca-o diante do Senhor, para guardá-lo para as vossas gerações.

34. Como o Senhor tinha ordenado a Moisés, assim Arão o pôs diante do Testemunho, para ser guardado.

35. E comeram os filhos de Israel maná quarenta anos, até que entraram em terra habitada; comeram maná até que chegaram aos termos da terra de Canaã.

36. E um ômer é a décima parte do efa.

Lucas 20

1. E aconteceu num daqueles dias que, estando ele ensinando o povo no templo, e anunciando o evangelho, sobrevieram os principais dos sacerdotes e os escribas com os anciãos,

2. E falaram-lhe, dizendo: Dize-nos, com que autoridade fazes estas coisas? Ou, quem é que te deu esta autoridade?

3. E, respondendo ele, disse-lhes: Também eu vos farei uma pergunta: Dizei-me pois:

4. O batismo de João era do céu ou dos homens?

5. E eles arrazoavam entre si, dizendo: Se dissermos: Do céu, ele nos dirá: Então por que o não crestes?

6. E se dissermos: Dos homens; todo o povo nos apedrejará, pois têm por certo que João era profeta.

7. E responderam que não sabiam de onde era.

8. E Jesus lhes disse: Tampouco vos direi com que autoridade faço isto.

9. E começou a dizer ao povo esta parábola: Certo homem plantou uma vinha, e arrendou-a a uns lavradores, e partiu para fora da terra por muito tempo;

10. E no tempo próprio mandou um servo aos lavradores, para que lhe dessem dos frutos da vinha; mas os lavradores, espancando-o, mandaram-no vazio.

11. E tornou ainda a mandar outro servo; mas eles, espancando também a este, e afrontando-o, mandaram-no vazio.

12. E tornou ainda a mandar um terceiro; mas eles, ferindo também a este, o expulsaram.

13. E disse o senhor da vinha: Que farei? Mandarei o meu filho amado; talvez, vendo-o, seja respeitado.

14. Mas, vendo-o os lavradores, arrazoaram entre si, dizendo: Este é o herdeiro; vinde, matemo-lo, para que a herança seja nossa.

15. E, lançando-o fora da vinha, o mataram. Que lhes fará, pois, o senhor da vinha?

16. Irá, e destruirá estes lavradores, e dará a outros a vinha. E, ouvindo eles isto, disseram: Não seja assim!

17. Mas ele, olhando para eles, disse: Que é isto, pois, que está escrito? A pedra, que os edificadores reprovaram, Essa foi feita cabeça da esquina.

18. Qualquer que cair sobre aquela pedra ficará em pedaços, e aquele sobre quem ela cair será feito em pó.

19. E os principais dos sacerdotes e os escribas procuravam lançar mão dele naquela mesma hora; mas temeram o povo; porque entenderam que contra eles dissera esta parábola.

20. E, observando-o, mandaram espias, que se fingissem justos, para o apanhar em nalguma palavra, e o entregarem à jurisdição e poder do presidente.

21. E perguntaram-lhe, dizendo: Mestre, nós sabemos que falas e ensinas bem e retamente, e que não consideras a aparência da pessoa, mas ensinas com verdade o caminho de Deus.

22. É-nos lícito dar tributo a César ou não?

23. E, entendendo ele a sua astúcia, disselhes: Por que me tentais?

24. Mostrai-me uma moeda. De quem tem a imagem e a inscrição? E, respondendo eles, disseram: De César.

25. Disse-lhes então: Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus.

26. E não puderam apanhá-lo em palavra alguma diante do povo; e, maravilhados da sua resposta, calaram-se.

27. E, chegando-se alguns dos saduceus, que dizem não haver ressurreição, perguntaram-lhe,

28. Dizendo: Mestre, Moisés nos deixou escrito que, se o irmão de algum falecer, tendo mulher, e não deixar filhos, o irmão dele tome a mulher, e suscite posteridade a seu irmão.

29. Houve, pois, sete irmãos, e o primeiro tomou mulher, e morreu sem filhos;

30. E tomou-a o segundo por mulher, e ele morreu sem filhos.

31. E tomou-a o terceiro, e igualmente também os sete; e morreram, e não deixaram filhos.

32. E por último, depois de todos, morreu também a mulher.

33. Portanto, na ressurreição, de qual deles será a mulher, pois que os sete por mulher a tiveram?

34. E, respondendo Jesus, disse-lhes: Os filhos deste mundo casam-se, e dão-se em casamento;

35. Mas os que forem havidos por dignos de alcançar o mundo vindouro, e a ressurreição dentre os mortos, nem hão de casar, nem ser dados em casamento;

36. Porque já não podem mais morrer; pois são iguais aos anjos, e são filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição.

37. E que os mortos hão de ressuscitar também o mostrou Moisés junto da sarça, quando chama ao Senhor Deus de

Abraão, e Deus de Isaque, e Deus de Jacó.

38. Ora, Deus não é Deus de mortos, mas de vivos; porque para ele vivem todos.

39. E, respondendo alguns dos escribas, disseram: Mestre, disseste bem.

40. E não ousavam perguntar-lhe mais coisa alguma.

41. E ele lhes disse: Como dizem que o Cristo é filho de Davi?

42. Visto como o mesmo Davi diz no livro dos Salmos: Disse o SENHOR ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita,

43. Até que eu ponha os teus inimigos por escabelo de teus pés.

44. Se Davi lhe chama Senhor, como é ele seu filho?

45. E, ouvindo-o todo o povo, disse Jesus aos seus discípulos:

46. Guardai-vos dos escribas, que querem andar com vestes compridas; e amam as saudações nas praças, e as principais cadeiras nas sinagogas, e os primeiros lugares nos banquetes;

47. Que devoram as casas das viúvas, fazendo, por pretexto, longas orações. Estes receberão maior condenação.

Jó 35

1. Respondeu mais Eliú, dizendo:

2. Tens por direito dizeres: Maior é a minha justiça do que a de Deus?

3. Porque disseste: De que me serviria? Que proveito tiraria mais do que do meu pecado?

4. Eu te darei resposta, a ti e aos teus amigos contigo.

5. Atenta para os céus, e vê; e contempla as mais altas nuvens, que são mais altas do que tu.

6. Se pecares, que efetuarás contra ele? Se as tuas transgressões se multiplicarem, que lhe farás?

7. Se fores justo, que lhe darás, ou que receberá ele da tua mão?

8. A tua impiedade faria mal a outro tal como tu; e a tua justiça aproveitaria ao filho do homem.

9. Por causa das muitas opressões os homens clamam por causa do braço dos grandes.

10. Porém ninguém diz: Onde está Deus que me criou, que dá salmos durante a noite;

11. Que nos ensina mais do que aos animais da terra e nos faz mais sábios do que as aves dos céus?

12. Clamam, porém ele não responde, por causa da arrogância dos maus.

13. C e r t o é que Deus não ouvirá a vaidade, nem atentará para ela o Todo-Poderoso.

14. E quanto ao que disseste, que o não verás, juízo perante ele; por isso espera nele.

15. Mas agora, porque a sua ira ainda não se exerce, nem grandemente considera a arrogância,

16. Logo Jó em vão abre a sua boca, e sem ciência multiplica palavras.

O que você aprendeu com a leitura de hoje? Deixe o seu comentário.

E não desanime. Continue firme para ler a Bíblia em 1 ano, aqui no Universal.org.

Acompanhe a leitura do 64º dia clicando aqui.

Acompanhe a leitura do 66º dia clicando aqui.

Se você ainda não começou, clique aqui e comece agora, não deixe para amanhã.


  • Da Redação 


reportar erro