Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 11 de abril de 2017 - 03:15


Leia a Bíblia em 1 ano – 101º dia

Levítico 15, Salmos 18 e Provérbios 29

“O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento…” Oséias 4.6

Conhecer a Bíblia é muito importante para todos nós, especialmente nos momentos mais difíceis de nossas vidas, pois Deus fala conosco por meio de Sua Palavra. O Espírito Santo nos conduz, nos orienta, e quando passamos por tribulações, Ele nos faz lembrar do que está escrito na Bíblia, de uma Palavra de Deus que nos conforte. Mas só nos lembraremos se tivermos conhecimento Dela.

Por isso, elaboramos um plano para que você leia a Bíblia em 1 ano. Se você ainda não começou, clique aqui e comece agora, não deixe para amanhã. Você verá o quanto isso transformará a sua vida.

Se você já está nesse propósito, acompanhe a leitura de hoje:

Levítico 15

1. Falou mais o Senhor a Moisés e a Arão dizendo:

2. Falai aos filhos de Israel, e dizei-lhes: Qualquer homem que tiver fluxo da sua carne, será imundo por causa do seu fluxo.

3. Esta, pois, será a sua imundícia, por causa do seu fluxo; se a sua carne vasa o seu fluxo ou se a sua carne estanca o seu fluxo, esta é a sua imundícia.

4. Toda a cama, em que se deitar o que tiver fluxo, será imunda; e toda a coisa, sobre o que se assentar, será imunda.

5. E qualquer que tocar a sua cama, lavará as suas roupas, e se banhará em água, e será imundo até à tarde.

6. E aquele que se assentar sobre aquilo em que se assentou o que tem o fluxo, lavará as suas roupas, e se banhará em água, e será imundo até à tarde.

7. E aquele que tocar a carne do que tem o fluxo, lavará as suas roupas, e se banhará em água, e será imundo até à tarde.

8. Quando também o que tem o fluxo cuspir sobre um limpo, então lavará este as suas roupas, e se banhará em água, e será imundo até à tarde.

9. Também toda a sela, em que cavalgar o que tem o fluxo, será imunda.

10. E qualquer que tocar em alguma coisa que esteve debaixo dele, será imundo até à tarde; e aquele que a levar, lavará as suas roupas, e se banhará em água, e será imundo até à tarde.

11. Também todo aquele em quem tocar o que tem o fluxo, sem haver lavado as suas mãos com água, lavará as suas roupas, e se banhará em água, e será imundo até à tarde.

12. E o vaso de barro, que tocar o que tem o fluxo, será quebrado; porém, todo o vaso de madeira será lavado com água.

13. Quando, pois, o que tem o fluxo, estiver limpo do seu fluxo, contar-se-ão sete dias para a sua purificação, e lavará as suas roupas, e banhará a sua carne em águas correntes; e será limpo.

14. E ao oitavo dia tomará duas rolas ou dois pombinhos, e virá perante o Senhor, à porta da tenda da congregação e os dará ao sacerdote;

15. E o sacerdote oferecerá um para expiação do pecado, e o outro para holocausto; e assim o sacerdote fará por ele expiação do seu fluxo perante o Senhor.

16. Também o homem, quando sair dele o sêmen da cópula, toda a sua carne banhará com água, e será imundo até à tarde.

17. Também toda a roupa, e toda a pele em que houver sêmen da cópula se lavará com água, e será imundo até à tarde.

18. E também se um homem se deitar com a mulher e tiver emissão de sêmen, ambos se banharão com água, e serão imundos até à tarde.

19. Mas a mulher, quando tiver fluxo, e o seu fluxo de sangue estiver na sua carne, estará sete dias na sua separação, e qualquer que a tocar, será imundo até à tarde.

20. E tudo aquilo sobre o que ela se deitar durante a sua separação, será imundo; e tudo sobre o que se assentar, será imundo.

21. E qualquer que tocar na sua cama, lavará as suas vestes, e se banhará com água, e será imundo até à tarde.

22. E qualquer que tocar alguma coisa, sobre o que ela se tiver assentado, lavará as suas vestes, e se banhará com água, e será imundo até à tarde.

23. Se também tocar alguma coisa que estiver sobre a cama ou sobre aquilo em que ela se assentou, será imundo até à tarde.

24. E se, com efeito, qualquer homem se deitar com ela, e a sua imundícia estiver sobre ele, imundo será por sete dias; também toda a cama, sobre que se deitar, será imunda.

25. Também a mulher, quando tiver o fluxo do seu sangue, por muitos dias fora do tempo da sua separação, ou quando tiver fluxo de sangue por mais tempo do que a sua separação, todos os dias do fluxo da sua imundícia será imunda, como nos dias da sua separação.

26. Toda a cama, sobre que se deitar todos os dias do seu fluxo, ser-lhe-á como a cama da sua separação; e toda a coisa, sobre que se assentar, será imunda, conforme a imundícia da sua separação.

27. E qualquer que a tocar será imundo; portanto lavará as suas vestes, e se banhará com água, e será imundo até à tarde.

28. Porém quando for limpa do seu fluxo, então se contarão sete dias, e depois será limpa.

29. E ao oitavo dia tomará duas rolas, ou dois pombinhos, e os trará ao sacerdote, à porta da tenda da congregação.

30. Então o sacerdote oferecerá um para expiação do pecado, e o outro para holocausto; e o sacerdote fará por ela expiação do fluxo da sua imundícia perante o Senhor.

31. Assim separareis os filhos de Israel das suas imundícias, para que não morram nas suas imundícias, contaminando o meu tabernáculo, que está no meio deles.

32. Esta é a lei daquele que tem o fluxo, e daquele de quem sai o sêmen da cópula, e que fica por eles imundo;

33. Como também da mulher enferma na sua separação, e daquele que padece do seu fluxo, seja homem ou mulher, e do homem que se deita com mulher imunda.

Salmos 18

1. Eu te amarei, ó Senhor, fortaleza minha.

2. O Senhor é o meu rochedo, e o meu lugar forte, e o meu libertador; o meu Deus, a minha fortaleza, em quem confio; o meu escudo, a força da minha salvação, e o meu alto refúgio.

3. Invocarei o nome do Senhor, que é digno de louvor, e ficarei livre dos meus inimigos.

4. Tristezas de morte me cercaram, e torrentes de impiedade me assombraram.

5. Tristezas do inferno me cingiram, laços de morte me surpreenderam.

6. Na angústia invoquei ao Senhor, e clamei ao meu Deus; desde o seu templo ouviu a minha voz, aos seus ouvidos chegou o meu clamor perante a sua face.

7. Então a terra se abalou e tremeu; e os fundamentos dos montes também se moveram e se abalaram, porquanto se indignou.

8. Das suas narinas subiu fumaça, e da sua boca saiu fogo que consumia; carvões se acenderam dele.

9. Abaixou os céus, e desceu, e a escuridão estava debaixo de seus pés.

10. E montou num querubim, e voou; sim, voou sobre as asas do vento.

11. Fez das trevas o seu lugar oculto; o pavilhão que o cercava era a escuridão das águas e as nuvens dos céus.

12. Ao resplendor da sua presença as nuvens se espalharam, e a saraiva e as brasas de fogo.

13. E o Senhor trovejou nos céus, o Altíssimo levantou a sua voz; e houve saraiva e brasas de fogo.

14. Mandou as suas setas, e as espalhou; multiplicou raios, e os desbaratou.

15. Então foram vistas as profundezas das águas, e foram descobertos os fundamentos do mundo, pela tua repreensão, Senhor, ao sopro das tuas narinas.

16. Enviou desde o alto, e me tomou; tirou-me das muitas águas.

17. Livrou-me do meu inimigo forte e dos que me odiavam, pois eram mais poderosos do que eu.

18. Surpreenderam-me no dia da minha calamidade; mas o Senhor foi o meu amparo.

19. Trouxe-me para um lugar espaçoso; livrou-me, porque tinha prazer em mim.

20. Recompensou-me o Senhor conforme a minha justiça, retribuiu-me conforme a pureza das minhas mãos.

21. Porque guardei os caminhos do Senhor, e não me apartei impiamente do meu Deus.

22. Porque todos os seus juízos estavam diante de mim, e não rejeitei os seus estatutos.

23. Também fui sincero perante ele, e me guardei da minha iniqüidade.

24. Assim que retribuiu-me o Senhor conforme a minha justiça, conforme a pureza de minhas mãos perante os seus olhos.

25. Com o benigno te mostrarás benigno; e com o homem sincero te mostrarás sincero;

26. Com o puro te mostrarás puro; e com o perverso te mostrarás indomável.

27. Porque tu livrarás o povo aflito, e abaterás os olhos altivos.

28. Porque tu acenderás a minha candeia; o Senhor meu Deus iluminará as minhas trevas.

29. Porque contigo entrei pelo meio duma tropa, com o meu Deus saltei uma muralha.

30. O caminho de Deus é perfeito; a palavra do Senhor é provada; é um escudo para todos os que nele confiam.

31. Porque quem é Deus senão o Senhor? E quem é rochedo senão o nosso Deus?

32. Deus é o que me cinge de força e aperfeiçoa o meu caminho.

33. Faz os meus pés como os das cervas, e põe-me nas minhas alturas.

34. Ensina as minhas mãos para a guerra, de sorte que os meus braços quebraram um arco de cobre.

35. Também me deste o escudo da tua salvação; a tua mão direita me susteve, e a tua mansidão me engrandeceu.

36. Alargaste os meus passos debaixo de mim, de maneira que os meus artelhos não vacilaram.

37. Persegui os meus inimigos, e os alcancei; não voltei senão depois de os ter consumido.

38. Atravessei-os de sorte que não se puderam levantar; caíram debaixo dos meus pés.

39. Pois me cingiste de força para a peleja; fizeste abater debaixo de mim aqueles que contra mim se levantaram.

40. Deste-me também o pescoço dos meus inimigos para que eu pudesse destruir os que me odeiam.

41. Clamaram, mas não houve quem os livrasse; até ao Senhor, mas ele não lhes respondeu.

42. Então os esmiucei como o pó diante do vento; deitei-os fora como a lama das ruas.

43. Livraste-me das contendas do povo, e me fizeste cabeça dos gentios; um povo que não conheci me servirá.

44. Em ouvindo a minha voz, me obedecerão; os estranhos se submeterão a mim.

45. Os estranhos descairão, e terão medo nos seus esconderijos.

46. O Senhor vive; e bendito seja o meu rochedo, e exaltado seja o Deus da minha salvação.

47. É Deus que me vinga inteiramente, e sujeita os povos debaixo de mim;

48. O que me livra de meus inimigos; sim, tu me exaltas sobre os que se levantam contra mim, tu me livras do homem violento.

49. Assim que, ó Senhor, te louvarei entre os gentios, e cantarei louvores ao teu nome,

50. Pois engrandece a salvação do seu rei, e usa de benignidade com o seu ungido, com Davi, e com a sua semente para sempre.

Provérbios 29

1. O homem que muitas vezes repreendido endurece a cerviz, de repente será destruído sem que haja remédio.

2. Quando os justos se engrandecem, o povo se alegra, mas quando o ímpio domina, o povo geme.

3. O homem que ama a sabedoria alegra a seu pai, mas o companheiro de prostitutas desperdiça os bens.

4. O rei com juízo sustém a terra, mas o amigo de peitas a transtorna.

5. O homem que lisonjeia o seu próximo arma uma rede aos seus passos.

6. Na transgressão do homem mau há laço, mas o justo jubila e se alegra.

7. O justo se informa da causa dos pobres, mas o ímpio nem sequer toma conhecimento.

8. Os homens escarnecedores alvoroçam a cidade, mas os sábios desviam a ira.

9. O homem sábio que pleiteia com o tolo, quer se zangue, quer se ria, não terá descanso.

10. Os homens sanguinários odeiam ao sincero, mas os justos procuram o seu bem.

11. O tolo revela todo o seu pensamento, mas o sábio o guarda até o fim.

12. O governador que dá atenção às palavras mentirosas, achará que todos os seus servos são ímpios.

13. O pobre e o usurário se encontram; o Senhor ilumina os olhos de ambos.

14. O rei que julga os pobres conforme a verdade firmará o seu trono para sempre.

15. A vara e a repreensão dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe.

16. Quando os ímpios se multiplicam, multiplicam-se as transgressões, mas os justos verão a sua queda.

17. Castiga o teu filho, e te dará descanso; e dará delícias à tua alma.

18. Não havendo profecia, o povo perece; porém o que guarda a lei, esse é bemaventurado.

19. O servo não se emendará com palavras, porque, ainda que entenda, todavia não atenderá.

20. Tens visto um homem precipitado no falar? Maior esperança há para um tolo do que para ele.

21. Quando alguém cria o seu servo com mimos desde a meninice, por fim ele tornar-se-á seu filho.

22. O homem irascível levanta contendas; e o furioso multiplica as transgressões.

23. A soberba do homem o abaterá, mas a honra sustentará o humilde de espírito.

24. O que tem parte com o ladrão odeia a sua própria alma; ouve maldições, e não o denuncia.

25. O temor do homem armará laços, mas o que confia no Senhor será posto em alto retiro.

26. Muitos buscam o favor do poderoso, mas o juízo de cada um vem do Senhor.

27. Abominação é, para os justos, o homem iníquo; mas abominação é, para o iníquo, o de retos caminhos.

O que você aprendeu com a leitura de hoje? Deixe o seu comentário.

E não desanime. Continue firme para ler a Bíblia em 1 ano, aqui no Universal.org.

Acompanhe a leitura do 100º dia clicando aqui.

Acompanhe a leitura do 102º dia clicando aqui.

Se você ainda não começou, clique aqui e comece agora, não deixe para amanhã.


  • Da Redação 


reportar erro