Rede aleluia
Justo e injusto têm naturezas e destinos diferentes
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
Baln. CamboriúBlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 9 de Agosto de 2021 - 15:49


Justo e injusto têm naturezas e destinos diferentes

Bispo Júlio Freitas ressalta a importância do servo de Deus pautar sua vida exclusivamente na Palavra de Deus

Justo e injusto têm naturezas e destinos diferentes

Em vídeo publicado recentemente na página dos Obreiros no instagram, o Bispo Júlio Freitas abordou sobre a natureza distinta da pessoa que é justa e da que é injusta.

O Bispo explicou que, mesmo que o injusto pareça feliz, seu íntimo é repleto de angústias e incertezas.

“O justo tem a natureza Divina.  Ele erra porque é humano, mas não vive no erro. Peca porque é pecador, mas não vive no pecado. Já o injusto vive no pecado e não se incomoda com isso. Ele vive na injustiça e acha que é normal”, explica.

Mas os justos, aqueles que servem a Deus, não vivem pelas mesmas regras, objetivos e valores dos injustos, que são  aqueles que não O temem.  Portanto, é impossível que tenham destinos iguais. Aliás, o próprio Deus prometeu que faria a diferença entre o justo e o injusto, entre o que serve a Deus e o que não O serve.

Por isso o justo não deve se espelhar em ninguém, senão na Palavra de Deus.  Suas referências são os heróis da fé, conforme o próprio Deus nos orienta ao olharmos para Abraão.

Ricos para com Deus

A Palavra de Deus é que nos traz as respostas sobre tudo na vida, incluindo a prosperidade que vem de Deus e que está baseada na fidelidade, em ter Deus como nosso Senhor, nosso único Deus, Guia, Provedor e Salvador.

“Ele como nosso Pai Celestial tem o controle de todas as coisas e abençoa o seu servo a Seu tempo. Ele não vai dar para você uma bênção que venha se converter em maldição. Ele espera que você amadureça, que você desenvolva, cresça na fé, para que essa bênção não venha lhe corromper, não venha lhe dominar. Porque o dinheiro é um excelente servo, mas um péssimo senhor. E muitos se perderam buscando a prosperidade de forma prematura” alerta o Bispo.

“Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus.” Lucas 12:21

Ou seja, do que adianta ser rico diante dos homens e pobre diante de Deus? O que você escolhe?

“Se você quer ser rico para com Deus, então vença a ansiedade, domine os sentimentos e quando chegar o momento você vai prosperar de acordo com a vontade de Deus, mas nunca se deixando consumir ou dominar pelos bens materiais”, orienta o Bispo Júlio.

Acompanhe a mensagem na íntegra:

Justo e injusto têm naturezas e destinos diferentes
  • Jeane Vidal / Foto: Istock 


reportar erro