Rede aleluia
Jovens que dormem tarde podem desenvolver asma
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 31 de julho de 2020 - 15:40


Jovens que dormem tarde podem desenvolver asma

Confira conselhos de especialistas para os pais imporem limites aos filhos

Jovens que dormem tarde podem desenvolver asma

Um estudo realizado pela Universidade de Alberta (Canadá) relaciona adolescentes que dormem tarde a doenças respiratórias como asma e rinite. De acordo com o artigo, quanto mais tarde os jovens dormem, maiores as chances de desenvolver os problemas.

O Dr. Subhabrata Moitra, autor sênior do estudo, explica que “os adolescentes não são naturalmente ‘corujas noturnas’, como algumas pessoas pensam. Mas nossos resultados sugerem que há um vínculo entre o momento em que eles preferem dormir e asma e alergias”.

De acordo com os resultados, quem dorme e acorda tarde tem três vezes mais chances de desenvolver os problemas respiratórios do que quem dorme até às 21h30. Isso acontece porque dormir tarde faz com que o relógio corporal dos adolescentes se altere. Consequentemente, há um efeito indireto na função imune dos pulmões.

Como a pesquisa foi realizada

Para chegar a essa conclusão, os especialistas estudaram os hábitos de 1.700 adolescentes de 13 ou 14 anos de idade. Foram avaliados horários, reações alérgicas, cansaço e doenças respiratória.

Esses jovens dormiam entre 21h e 2h, utilizando ou não telas como televisão, computador e celular.

“O conselho para os pais, com base nessas descobertas, é que eles garantam que seus jovens adolescentes vão dormir entre as 21h30 e 22h30. E que desliguem seus aparelhos eletrônicos duas horas antes”, orienta Moitra.

A restrição às telas se deve ao fato de que elas também atrapalham o relógio corporal. A luz azul faz com que o organismo tenha dificuldade em distinguir noite e dia.

Pais, hajam!

Como Moitra orienta, o melhor para a saúde de crianças e adolescentes é dormir cedo. Entretanto, nem sempre é fácil fazer os filhos seguirem essa orientação.

“Um dos problemas mais sérios atualmente nos lares onde há filhos—pequenos, adolescentes, ou até adultos—é a falta de limites. Os pais, ora por ignorância, ora por não quererem ter dor de cabeça ou simplesmente para agradar os filhos, acabam deixando seus filhos fazerem o que quiserem, sem limites”, afirma o escritor Renato Cardoso, em seu blog. “Apesar de não gostarem que os pais imponham limites e regras, filhos precisam disso”.

E os limites no horário de dormir ou de utilizar telas estão entre os mais importantes.

De acordo com o escritor, “Pai e mãe devem agir em conjunto para determinar certos limites e regras aos seus filhos, visando o bem deles. Comunicar bem essas regras aos seus filhos e não ter medo de aplicá-las. E sempre lembrar que o objetivo é protegê-los do mundo e deles mesmos—mas não exagerar na dureza e rigor. Pais devem ser equilibrados, permitir certos errinhos de seus filhos e não viver pegando no pé deles toda hora por qualquer coisa. Mas nas coisas principais, devem ser firmes e justos”.

Está difícil?

É sabido que, nem sempre, os filhos obedecem facilmente a seus pais. Especialmente em relação a limites no uso de telas, já que a tecnologia é desenvolvida justamente para viciar os usuários.

Sabendo da importância da boa educação e do bom relacionamento entre pais e filhos, a Escola de Mães oferece apoio aos pais que querem educar seus filhos de maneira justa e eficiente. A educadora Edneia Dutra, coordenadora do projeto no Brasil, explica que é importante para os pais desenvolverem “com seus filhos uma relação não só de obediência, também de afeto, respeito, amor e amizade. Esses são elos fundamentais que contribuem para um bom relacionamento entre pais e filhos”.

Para auxiliar nesse desenvolvimento a Escola de Mães oferece aulas mensais gratuitas, além de diversas outras atividades. Saiba como participar clicando aqui.


Jovens que dormem tarde podem desenvolver asma
  • Andre Batista / Foto: Getty Imagens 


reportar erro