Rede aleluia
Jônatas, um exemplo de temor e obediência a Deus
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 22 de Maio de 2022 - 00:05


Jônatas, um exemplo de temor e obediência a Deus

O primogênito de Saul e melhor amigo de Davi tem sua vida transformada quando o pai é declarado rei de Israel, mas sua personalidade, sua fé e sua determinação em fazer o que é justo permanecem imutáveis

Jônatas, um exemplo de temor e obediência a Deus

Quando uma nação é governada por um rei, espera-se que um dia essa responsabilidade seja passada ao seu primogênito. Em A Ingratidão, a segunda temporada de Reis, da Record TV, acompanhamos o início da monarquia em Israel, após a consagração de Saul (Carlo Porto). É de se esperar que, além do primeiro rei, os olhares de toda a nação também estivessem sobre seu filho mais velho, Jônatas, que sucederia Saul no trono.

O personagem interpretado por Miguel Coelho tem tido suas nuances exploradas na trama desde sua estreia. Em entrevista exclusiva à Folha Universal, a autora da série, Raphaela Castro, conta que construir esse personagem foi um processo interessante: “na Bíblia temos algumas pistas e indícios que usamos para desenvolver sua personalidade e aptidões. A principal pista é quando Davi entra na história e Jônatas coloca a Vontade de Deus acima da sua. Isso foi além da amizade e consideração que tinha com Davi: Jônatas era temente a Deus e tem essa inclinação para as coisas de Deus, o que rege suas atitudes e decisões”.

Assim, algumas características do personagem ficam bem evidentes na história, como o fato de ele ser um filho obediente; um irmão exemplar; um esposo paciente e amoroso; um homem pacato que admira o pai e deseja seguir seus passos, cuidando da família e dos negócios; um exímio guerreiro, aguerrido e treinado para lutar; além de ser corajoso e um líder nato.

Responsabilidades e desafios
Quando descobre que seu pai foi escolhido como rei de Israel, “ele se adequa mais facilmente às mudanças, porque entende que era a Vontade de Deus. Jônatas entende que quando Deus escolheu o pai, Ele escolheu a família toda e isso tem um propósito”, explica a autora. Como primogênito, ele sempre entendeu a responsabilidade de que, no futuro, seria o líder de sua família e, com o pai como o monarca dos israelitas, soube que essa responsabilidade sobre si havia crescido.

Jônatas enfrentará muitas divergências ao longo da trama, incluindo problemas no casamento e em sua família, o que trará aprendizados aos telespectadores. Essas lições serão reveladas nas atitudes, ações e reações do personagem, que vai se contrapor a Saul, principalmente quando se tratar de fé e confiança em Deus.

A parceria entre pai e filho estará presente no início do reinado. O primogênito tentará influenciar o pai positivamente, lembrando-o sobre o que Deus espera de um rei, mas “Saul não se interessa por isso e, aos poucos, vai afastando Jônatas de si e de ter uma posição ou papel no reinado dele; seu papel será guerrear”, diz a autora, reforçando que Jônatas também será um constante lembrete de tudo o que Saul fará de errado.

Raphaela enfatiza que Jônatas se destacará por sua lealdade a Deus, fidelidade e perseverança em continuar fazendo o que é certo, “assim como Samuel, na primeira temporada, que cresceu no meio da corrupção, mas se manteve fiel a Deus e puro em meio a tudo aquilo. Jônatas está na mesma situação de certa forma, numa situação mais intensa e muito pior do que Samuel viveu, porque o pai de Jônatas é rei e ele vira as costas para tudo o que tem, seu pai e seu futuro. Tudo para ficar ao lado daquele que Deus escolheu e ungiu, que foi Davi”, comenta.

O que está por vir?
A autora lembra que ainda há muita história a ser contada, mas já adianta que em breve o telespectador acompanhará a relação entre o herdeiro legítimo e aquele que foi escolhido por Deus para suceder ao trono de Israel. “Jônatas vai ser dar muito bem com Davi porque os dois são luz. Vai ser uma amizade muito bonita por causa disso, desse fator importantíssimo que é a fé e o temor a Deus”, complementa. Então, continue acompanhando Reis, na Record TV, de segunda a sexta-feira, às 21 horas.


Jônatas, um exemplo de temor e obediência a Deus
  • Laís Klaiber / Fotos: Blad Meneghel 


reportar erro