Rede aleluia
Jejum de Daniel: para que servem esses 21 dias?
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 15 de Agosto de 2017 - 03:00


Jejum de Daniel: para que servem esses 21 dias?

Bispo Edir Macedo ensina a diferença entre se inclinar para o mundo e se inclinar para Deus

Jejum de Daniel: para que servem esses 21 dias?

Os 21 dias do Jejum de Daniel têm
uma proposta clara: abandonar o que o mundo oferece e preencher o vazio
interior com aquilo que Deus tem a oferecer. Mas por que isso é tão importante?
A própria Bíblia traz a resposta:

Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz.
Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser.
Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus. Romanos 8:6-8

O que essa passagem bíblica está dizendo é que, na prática, as pessoas não podem agradar ao mundo e a Deus ao mesmo tempo. Isso porque o mundo é dominado pela injustiça e o injusto é incapaz de gozar da amizade de Deus.

“Tudo o que é injusto, tudo o que desagrada a Deus é pecado. Até o fato de você comer demais é pecado”, explica o bispo Edir Macedo. “Os 21 dias do Jejum de Daniel são justamente para isso: para as pessoas deixarem a carne de lado e investirem e se inclinarem para o Espírito Santo. Quando a pessoa faz o Jejum de Daniel ela se exclui das redes sociais, ela se exclui das amizades nocivas […] ela se exclui das informações seculares, ela se exclui, por exemplo, […] de toda a sorte de pensamento que a faz se envolver com esse mundo. E ela só pensa nas coisas de Deus.”

Assim, o Jejum de Daniel se torna o período destinado a realizar uma aproximação entre o homem e Deus. E é essa inclinação ao Altíssimo que abençoa a vida de uma pessoa.

“Quando a gente se inclina para Deus Ele se volta para a gente. É simples. Quando a gente vira as costas para Deus, automaticamente a gente se coloca de fronte e sujeito ao diabo. Você, eu e cada ser humano vive entre Deus e o diabo, entre o céu e o inferno, entre o bem e o mal. Entre o Espírito de Deus e o espírito do mal”, define o bispo Edir Macedo.

Cabe, portanto, a cada um escolher a quem se inclinará, de quem seguirá as orientações e a quem dedicará sua atenção: a Deus ou ao mundo. Aproveite os 21 dias do Jejum de Daniel para realizar essa reflexão. Assista ao vídeo abaixo e receba o ensinamento completo do bispo Edir Macedo e de sua esposa, Ester Bezerra.


Jejum de Daniel: para que servem esses 21 dias?
  • Por Andre Batista / Imagens: Universal 


reportar erro