Rede aleluia
Integridade: essencial para a vida
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
Baln. CamboriúBlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 27 de Novembro de 2022 - 00:05


Integridade: essencial para a vida

Coerência entre a ética no pensar e no fazer é determinante para a saúde física, mental e espiritual

Integridade: essencial para a vida

Você sabe o que é integridade? Sabe identificar se ela está presente ou falta em alguém? Quem lança essas perguntas é o master coach e pedagogo Rodrigo Huback, do Rio de Janeiro (RJ), que também responde: “integridade é uma conduta que se caracteriza por uma convergência entre palavras e ações. Uma pessoa íntegra tem uma conduta reta, faz o que fala, o que pensa, mas sempre direcionada pela ética e pela honestidade”.

Huback destaca que a integridade é uma característica muito importante para a manutenção de relacionamentos saudáveis. Apesar disso, o cenário de hoje não é animador e muitas pessoas estão preocupadas apenas em levar vantagem, adotando, para isso, atitudes nocivas e desonestas. “Ter ética e coerência é fundamental para socializar tanto na vida pessoal como na profissional. É preciso aprender a identificar as pessoas íntegras e as que só querem tirar vantagem das outras para se resguardar em seus relacionamentos”, aconselha (confira na página ao lado algumas dicas).

Mas ser honesto é algo muito mais benéfico do que muitos imaginam, segundo uma recente pesquisa da universidade de Harvard, nos Estados Unidos. O estudo concluiu que a integridade faz bem à saúde mental e física, além dos já evidentes benefícios sociais. Os indivíduos íntegros apresentaram até 50% menos probabilidade de serem acometidos por depressão e ansiedade, sobretudo aqueles que são adeptos de fazer o que é certo mesmo diante de dificuldades para isso. Em suma, quando se é honesto com o próximo, também há um retorno para quem praticou a integridade no que se refere ao bem-estar geral, mesmo que essa não tenha sido a intenção.

Com as pessoas e com Deus
Claro que se manter íntegro 24 horas por dia é uma luta diária, mas que tem seus frutos para o bem ou para o mal, de acordo com as atitudes adotadas. “Hoje em dia, com tantos valores invertidos, está ficando mais difícil encontrar pessoas honestas com os que estão ao seu redor, com elas mesmas e com Deus”, observa o Bispo Júlio Freitas em seu blog pessoal.

“Algumas pessoas, inclusive, abrem mão de sua honestidade para se dar bem em um negócio e, por isso, fazem coisas ilícitas, sonegam impostos, mentem e não se preocupam com sua palavra e imagem diante do Deus-Vivo e dos outros”, segue o Bispo.

O que elas ignoram ou se esquecem, segundo ele, “é que a desonestidade abre caminho para outras injustiças (pecados). Por serem desonestas, muitas não conseguem confiar em ninguém, pois acham que todos são também como elas. Não confiam em seus patrões, cônjuges, amigos, familiares, pastores, em si mesmas e deixam até mesmo de confiar em Deus”.

O ser íntegro “deve saber reconhecer quando errou, sua real condição espiritual e ser fiel nos dízimos, em seus votos e ofertas”, diz o Bispo, que convida: “paute sua vida na honestidade e na verdade diante do Altíssimo e dos seres humanos”.

O Bispo Júlio indica que a falta de integridade não pode existir em uma pessoa que se diz cristã, pois seria uma incoerência. “Todo servo do Deus Altíssimo, sem exceção, deve ser uma pessoa honesta, honrar sua palavra, pagar seus impostos, ser verdadeiro, mesmo que as consequências não lhe sejam favoráveis. Mas, acima de tudo, deve ser honesto consigo mesmo e com Deus”, conclui.


Integridade: essencial para a vida
  • Redação / Foto: Getty Images 


reportar erro