Rede aleluia
Halloween: inofensivo ou perigoso?
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
Baln. CamboriúBlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 26 de Outubro de 2022 - 13:06


Halloween: inofensivo ou perigoso?

Celebração já faz parte do calendário brasileiro, mas pode ser um risco ao bem estar emocional e espiritual. Entenda

Halloween: inofensivo ou perigoso?

O Halloween é uma comemoração típica da Europa e América do Norte. A celebração é em 31 de outubro e com o tempo foi ganhando espaço no calendário brasileiro.

Por aqui a data é marcada especialmente por fantasias, festas, brincadeiras e enfeites que chamam a atenção especialmente de crianças e adolescentes. Mas, apesar da sua aparência inofensiva, a data tem um significado e simbologia demoníacos.

Origem:

  • A celebração pagã começou por volta do século 5 antes de Cristo (a.C.), entre o povo celta – que vivia ao norte do Reino Unido, no continente europeu.
  • Para eles, o ano começava no dia 1º de novembro e na noite do dia 31 de outubro eles comemoravam o festival de Samhaim.
  • Durante esse evento, eles acreditavam que o mundo dos mortos e dos vivos se uniam. Por isso sacrificavam animais e era acesa uma fogueira em homenagem aos mortos.

Simbologia:

A simbologia da festa também traz fortes referências aos espíritos malignos:

  • Abóbora com uma vela dentro: é para afastar os maus espíritos durante esse período. Foi inspirada na lenda de Jack O’ Lantern (uma alma penada).
  • Morcegos: representam o mundo das trevas, tudo que é sombrio e noturno.
  • Bruxas: realizam feitiçarias promovendo o mal na vida das pessoas.
  • Aranha: simboliza o alerta de perigos.
  • Cores: o roxo, nesse contexto, representa a passagem entre a vida e a morte e o preto simboliza a escuridão.
  • Uso de fantasias: surgiram da ideia de se “camuflar” entre o que havia de ruim nas ruas.
  • A expressão “Halloween”: significa “All hallows eve” (“Véspera de todos os santos”, do inglês). Ou seja, não tem como falar do Dia das Bruxas sem fazer referência à atuação dos espíritos malignos na vida das pessoas.

Onde está o perigo:

Muitas pessoas, inclusive cristãos, acham que o Halloween perdeu o caráter religioso e tornou-se uma data festiva e comercial. Mas não é bem assim.

  • Quem tem discernimento espiritual consegue ver além da aparência e não ignora que há um mundo espiritual por trás de tudo que existe de material.
  • “De inofensivo [o Halloween] não tem nada! Além do grande apelo comercial, trata de normalizar o mal como se fosse algo inocente. Por falta de visão espiritual, cristãos têm se ajustado ao mundo, mas as duas coisas não combinam. Quando se trata da nossa Salvação, devemos ser radicais”, alerta o Pastor Walber Barboza, responsável nacional do grupo Força Teen Universal (FTU).
  • Ele também acredita que a influência da mídia estimula a participação de jovens e crianças nesse tipo de “diversão”. “De tanto ver em filmes e séries querem experimentar. Mas cabe a todos o alerta. O envolvimento com o ocultismo, traz consequências graves: perturbações, distúrbios e outros tantos problemas. As sutilezas do mal, já não são sutis, são descaradas. Um cristão autêntico jamais se envolverá com algo assim”, afirma.

“Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo”

Colossenses 2:8

Além disso, leia:

 


Halloween: inofensivo ou perigoso?
  • Rafaella Rizzo / Fotos: iStock 


reportar erro