Rede aleluia

Notícias | 14 de setembro de 2018 - 11:21


Governo chinês quer proibir publicações religiosas na internet

Escritório Nacional de Assuntos Religiosos divulgou um projeto de lei que planeja controlar as atividades religiosas na rede

Um projeto de lei chinês, divulgado no dia 11 de setembro último, proíbe a publicação de quaisquer conteúdos religiosos na internet. A informação foi do Escritório Nacional de Assuntos Religiosos da China.
O texto orienta que ninguém poderá divulgar fotos, vídeos e áudios pela rede, ou realizar transmissões de eventos religiosos em tempo real. O exemplo citado pelo Escritório foi com relação ao budismo – uma prática religiosa que faz parte de aproximadamente 16% da população, segundo o World Christian Database (WCD, na sigla em inglês) – mas o impedimento abrange a todas as religiões.
As restrições religiosas impostas pelo Governo chinês são cada vez maiores. Essa estratégia tem raízes históricas. Vale lembrar que a China é conduzida exclusivamente pelo Partido Comunista da China, desde 1948. E o marxismo discorda de qualquer crença religiosa. Além disso, essa é uma tática para coibir ideologias diferentes das ensinadas pelo Partido.
Por exemplo, há uma preocupação do Estado com o avanço do islamismo radical na região autônoma de Xinjiang, localizada no noroeste do país asiático.
Cristianismo na China
No país oriental, os cristãos sofrem muito preconceito, porque negar uma religião tradicional, como o próprio budismo, é um ato de desrespeito com toda a comunidade em que um indivíduo cresceu.
Segundo a ONG Open Doors, a China é o 43º país mais perigoso para os cristãos viverem. A instituição informa que há um forte controle do Estado sobre as igrejas. Um dos recursos utilizados são os agentes infiltrados entre os cristãos. Batismos públicos também não são permitidos.
Universal na China
A Universal chegou à China em 1996 e entre os frequentadores estão, principalmente, filipinos, indonésios e brasileiros. Ela também atua legalmente nas ilhas de Hong Kong e Macau.
Leia também: China: como é a Universal do outro lado do mundo?
Assim como no Brasil, os voluntários desenvolvem projetos sociais e realizam evangelização nas ruas.
Confira a página da Universal de Hong Kong, no Faceook e saiba mais sobre esse trabalho.


  • Daniel Cruz / Foto: iStock 



reportar erro