Rede aleluia
Em uma noite, Anjos da Madrugada ajudaram 24,5 mil moradores de rua em todo o Brasil
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 13 de janeiro de 2021 - 15:53


Em uma noite, Anjos da Madrugada ajudaram 24,5 mil moradores de rua em todo o Brasil

Pontos de atendimento ofereceram comida, corte de cabelo, banho e roupa limpa.

Em uma noite, Anjos da Madrugada ajudaram 24,5 mil moradores de rua em todo o Brasil

Nesta terça-feira (12), 1.015 pontos de atendimento do programa social Anjos da Madrugada  ofereceram ajuda humanitária à população em situação de rua, em cidades de todos os estados e do Distrito Federal, beneficiando cerca de 24,5 mil pessoas fragilizadas.

Além da calamidade sanitária, a pandemia do novo coronavírus também tirou o teto de pessoas que perderam emprego e renda. Estimativas apontam um aumento de mais de 50% dos moradores de rua nas grandes cidades, desde a chegada da COVID-19 ao Brasil.

Visitando praças e outros lugares frequentados por moradores de rua, 27 mil voluntários dos Anjos da Madrugada distribuíram 30 mil refeições, 2,6 mil kits de higiene pessoal, além de proporcionar corte de cabelo, manicure e, onde possível, banho.

“A restauração do corpo é somente a porta de entrada para a transformação da mente, através da palavra de esperança que é dada”, explicou Bruno Barros, responsável pelos Anjos da Madrugada.

“Com a pandemia, a crise piorou, muitos perderam emprego, casa. O programa social intensificou as ações, dando assistência com refeições e doações diversas para ajudar essas pessoas sofridas no seu dia a dia, proporcionando, também, um momento diferente”, avaliou.

O programa social também doou peças de roupa e ofereceu atendimento de enfermagem.

O casal de voluntários Jonatas (31 anos) e Erika Santos (29) contou que estava se sentindo feliz e honrado em poder participar dos Anjos da Madrugada. “Pudemos ajudar pessoas que são desprezadas pela sociedade e que sofrem com problemas como vício, abandono familiar, e que já não têm perspectiva de uma vida melhor. É gratificante, através de um gesto simples, conseguir arrancar um sorriso deles e motivá-los a ser uma pessoa melhor”, contou Jonatas.

Nas ações dos Anjos da Madrugada, são observadas todas as normas de distanciamento social e de higiene, recomendadas pelas  autoridades sanitárias.

Pedintes, ambulantes e desabrigados

Mantido pela Igreja Universal do Reino de Deus, o programa social teve início na década de 1980.

Nas noites de terça, voluntários saem às ruas de todo o país para levar alimento, roupas e cobertores às pessoas em situação de rua. São realizados, também, atendimentos jurídicos e de saúde.

Em 2020, os voluntários do programa social atenderam 921 mil brasileiros em situação de rua, como pedintes, ambulantes, catadores de papel e desabrigados.

 


Em uma noite, Anjos da Madrugada ajudaram 24,5 mil moradores de rua em todo o Brasil
  • UNIcom / Fotos: cedidas 


reportar erro