Rede aleluia
Deputado Márcio Marinho renuncia presidência do Grupo Parlamentar de Amizade Brasil-Angola
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 13 de Maio de 2021 - 22:29


Deputado Márcio Marinho renuncia presidência do Grupo Parlamentar de Amizade Brasil-Angola

Em fala - na tribuna da Câmara dos Deputados, ele cobrou um posicionamento do governo federal, após 9 missionários brasileiros terem sido deportados da Angola. Assista abaixo

Deputado Márcio Marinho renuncia presidência do Grupo Parlamentar de Amizade Brasil-Angola

Diante dos recentes acontecimentos envolvendo a Universal em Angola, o deputado federal Márcio Marinho (Republicanos) subiu à tribuna da Câmara dos Deputados para registrar sua indignação, nesta quinta-feira, 13 de maio.

Ele, que é presidente do Grupo Parlamentar de Amizade Brasil-Angola, renunciou o cargo e aproveitou para pressionar o governo federal a tomar uma atitude, diante dos crescentes casos de violência e a deportação desumana de 9 missionários brasileiros, que chegaram ao Brasil na tarde da última quarta-feira, 12 de maio. Leia mais sobre isso aqui.

“Hoje aconteceu com os missionários da Igreja Universal do Reino de Deus, amanhã pode ser com outros missionários estrangeiros que lá estão”, alertou o deputado, que é Pastor licenciado da Universal. 

Ele lembrou da atuação incisiva do governo no caso do motorista Robson Nascimento de Oliveira, que foi preso na Rússia portando um medicamento, que no país é considerado como droga ilícita. 

“O presidente apareceu ao lado dele, dizendo que fez todos os contatos diplomáticos para resolver aquele problema. Com a gente, serão dois pesos e duas medidas?”, indagou o deputado. 

Além disso, o parlamentar ainda reiterou que “está feio demais o Ministério de Relações Exteriores ficar calado e inerte ao que está acontecendo” e cobrou um posicionamento do presidente Jair Bolsonaro.

Ainda na tribuna, Marinho também ressaltou que, enquanto a situação em Angola não tiver um posicionamento do governo federal, o partido Republicanos será oposição “às ações do governo brasileiro em relação a Angola e da Angola em relação ao governo brasileiro”.

Ademais, o deputado ainda registrou que espera que o presidente da Comissão de Relações Exteriores, Aécio Neves (PSDB-MG), e o presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Nelsinho Trad (PSD-MS) cobrem uma resposta por parte do governo federal.

Assista ao discurso do deputado no vídeo abaixo:


Deputado Márcio Marinho renuncia presidência do Grupo Parlamentar de Amizade Brasil-Angola
  • Redação / Foto: Reprodução 


reportar erro