Rede aleluia
Depressão e ansiedade aumentam durante a quarentena da COVID-19
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 23 de julho de 2020 - 22:36


Depressão e ansiedade aumentam durante a quarentena da COVID-19

É importante observar que esses e outros males emocionais são doenças originadas na alma

Depressão e ansiedade aumentam durante a quarentena da COVID-19

Desde que a quarentena foi imposta como uma das medidas de prevenção à pandemia do novo coronavírus, os transtornos psicológicos aumentaram entre os brasileiros. Uma pesquisa da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) mostrou que os casos de depressão aumentaram em 50% e a ansiedade e o estresse, em 80%.

Segundos a pesquisa, existem alguns fatores de risco ao aumento do estresse e da ansiedade. Por exemplo, alimentação desregrada, doenças preexistentes, ausência de acompanhamento psicológico, sedentarismo e a necessidade de sair de casa para trabalhar. Ainda de acordo com o estudo, as mulheres estão mais propensas do que os homens a esses sintomas.

Já para depressão, as principais causas são idade mais avançada, ausência de crianças em casa, baixo nível de escolaridade e a presença de idosos no ambiente doméstico. Esses foram os primeiros resultados do estudo realizado online, com 1.460 pessoas, em 23 estados e em dois momentos: de 20 a 25 de março e de 15 a 20 de abril.

Encontro de fé

A piora da saúde mental durante a pandemia ocorre por múltiplos fatores como o medo da solidão, ou medo de ficar doente, e a falta de perspectiva para o futuro. Todas essas aflições refletem o modo como as pessoas estão encarando esse momento excepcional. Em decorrência disso, muitos estão enfrentando quadros de estresse, ansiedade, insônia e depressão.

Contudo, é importante observar que esses e outros males emocionais são doenças originadas na alma da pessoa. Por isso, é necessário buscar também por ajuda espiritual. Se você está passando por esses problemas e não sabe como encontrar uma saída para eles, participe de um encontro de fé e fique livre de tudo o que impede a sua paz.

Recentemente, o Bispo Renato Cardoso, durante uma reunião, afirmou que as nossas vidas são determinadas de vitórias, ou de derrotas, de acordo com aquilo ao que damos ouvidos. E, por essa razão, Deus quer que mergulhemos na Palavra dEle. Para que assim, combatamos todas as dúvidas que nos vêm à mente. É preciso crer para vencer a depressão. Leia mais aqui.

Projeto “Depressão tem cura”

Para que tem sofrido com a depressão, ou conhece alguém que padece com esse mal, pode solicitar um atendimento ou uma visita pelo WhatsApp (11) 3573-3662.

Ademais, às sextas-feiras acontece, na Universal, uma reunião especialmente dirigida a quem sofre com problemas espirituais, inclusive, a depressão. Trata-se da Sessão do Descarrego. No Templo de Salomão, em São Paulo, ela acontece em cinco horários: às 7h, 10h, 12h, 15h e às 20h. Caso esteja em outras localidades, encontre o endereço mais perto de sua casa.


Depressão e ansiedade aumentam durante a quarentena da COVID-19
  • Da Redação / Foto: Getty Images 

  • Colaborador: 

  • Michele Roza


reportar erro