Rede aleluia
COVID-19 faz outras doenças matarem milhões a mais
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 21 de Julho de 2020 - 00:08


COVID-19 faz outras doenças matarem milhões a mais

AIDS, malária e tuberculose aumentarão grandemente suas vítimas nos próximos anos

COVID-19 faz outras doenças matarem milhões a mais

Um estudo publicado no periódico Lancet Global Health realizou cálculos em países de rendas baixa e média, como o Brasil, e os resultados apontam que, nos próximos anos, AIDS, tuberculose e malária poderão matar, juntas, 66% a mais de pessoas em decorrências das políticas de combate à COVID-19.

Isso acontecerá porque esses países têm sistemas de saúde pública já deficientes. A pandemia exige muito de cada um desses sistemas, tanto financeiramente quanto em disponibilidade de leitos e médicos.

Programas sendo interrompidos

Conforme o diretor executivo do Fundo Global para a Luta contra Aids, Tuberculose e Malária, Peter Sands informou à BBC, nos 100 países apoiados pelo Fundo Global, “85% dos programas contra o HIV, 78% contra a tuberculose e 73% contra a malária estão passando por interrupções. E 18% dos programas de HIV, 17% dos programas de tuberculose e 19% dos programas de malária estão passando especificamente por uma interrupção de alto ou muito alto impacto”.

Ou seja: para atender infectados com o novo coronavírus, os governos estão abrindo mão de atender pacientes infectados com HIV, malária e tuberculose. O resultado, de acordo com o estudo citado acima, é que, nos próximos anos, a AIDS fará 10% mais vítimas, a tuberculose 20% e a malária 36%.

O estudo foi realizado em parceria por três das instituições de saúde mais respeitadas do Reino Unido: Conselho de Pesquisa Médica do Centro para Análise de Doenças Infecciosas Globais, Instituto Abdul Latif Jameel e Imperial College de Londres.

Os principais problemas causados pela pandemia

Entre os principais problemas que causarão o aumento de mortes por essas doenças estão:

Interrupção no acompanhamento médico, a diminuição de prescrição e retirada de coquetéis antirretrovirais e a falta de profissionais combatendo o mosquito Anopheles (transmissor da malária).

A diminuição de consultas, exames de diagnósticos e tratamento também estão entre os problemas mais sérios causados pela pandemia.

Outra doença que, provavelmente, aumentará o número de vítimas fatais nos próximos anos devido à pandemia de COVID-19 é o câncer. Clique aqui e leia mais a respeito.


COVID-19 faz outras doenças matarem milhões a mais
  • Andre Batista / Foto: Getty Images 


reportar erro