Rede aleluia
Coronavírus não é tão letal como parece
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
Baln. CamboriúBlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 4 de Abril de 2020 - 20:11


Coronavírus não é tão letal como parece

Embora a mídia espalhe o pânico, quase todas as vítimas fatais já estavam doentes antes de serem infectadas

Coronavírus não é tão letal como parece

Até o dia 3 de abril, o Brasil havia registrado 8.229 casos de pessoas infectadas com o COVID-19. Dessas, 127 já haviam se recuperado; 4,2% dos infectados perderam a vida, sendo que quase todos eles pertenciam ao grupo de risco.

Conforme o representante da Organização Mundial da Saúde (OMS) Hans Kluge afirmou em entrevista coletiva de imprensa nesta quinta-feira (2), mais de 80% das pessoas que morreram por Coronavírus no mundo inteiro já possuíam doenças crônicas anteriormente ao contágio com o COVID-19. Ou seja: eram pessoas cujo organismo estava debilitado demais para combater o vírus.

Além disso, mais de 50% das pessoas vítimas possuíam mais de 80 anos de idade.

Entre as pessoas infectadas com menos de 50 anos de idade, 10 a 15% apresentaram sintomas moderados ou graves. E quase todos eles pertenciam ao grupo de risco.

Evidentemente, todas as vidas são importantes. Entretanto, o pânico instaurado pela mídia faz a sociedade crer que o vírus é muito mais letal do que ele realmente é.

Por exemplo: Você sabia que o Coronavírus, provavelmente, não é transmitido ao tocar em objetos? Clique aqui e leia tudo sobre isso.

No Brasil, os números ainda são difíceis de analisar, já que alguns prefeitos e governadores estão utilizando o caos para se promoverem politicamente. Em São Paulo, por exemplo, epicentro da doença no país, os números de mortes não estão sendo divulgados. Embora exista a recomendação para que o falecido seja tratado como vítima de “COVID-19”, mesmo sem a certeza do contágio.

Na França, porém, é possível fazer um recorte mais preciso da doença. Lá foram registrados 59.948 casos. O número de mortes é alto: 6.507 mortes. Contudo, quase 80% das vítimas fatais tinham mais de 75 anos de idade. A boa notícia no país é que 14.235 pessoas já estão curadas.

E essa não é a única boa notícia! Milhares de pessoas estão se recuperando e provando que podemos sim vencer esse vírus. Clique aqui e assista à reportagem especial que o programa “Inteligência e Fé” realizou sobre a cura de quem pegou o Coronavírus.


Coronavírus não é tão letal como parece
  • Andre Batista / Foto: Getty Images 


reportar erro