Rede aleluia
Construção quer “unir” religiões
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 14 de Outubro de 2021 - 14:09


Construção quer “unir” religiões

A "Casa da Família Abraâmica" deve ser inaugurada em 2022. Apontamos para o fim dos tempos?

Construção quer “unir” religiões

Um imenso parque traz em seu centro três construções em forma de cubo. Cada uma delas representa uma religião (trata-se de uma mesquita, uma igreja e uma sinagoga) e elas servirão como um local de culto para os visitantes.

Parece ser algo difícil de se imaginar (reunir pensamentos diferentes em um mesmo lugar), mas a obra já possui 20% de sua estrutura e a inauguração está prevista para 2022. O nome do local é Abrahamic Family House (Casa da Família Abraâmica), de acordo com o site do Vaticano, e foi inspirado no “Documento sobre a Fraternidade Humana de 2019” (você pode conferir o texto na íntegra aqui). Ele está situado na Ilha Saadiyat, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

A ideia traz mensagens de “um mundo melhor” em que o intuito é um apelo pela paz e a união de religiões em prol da cooperação e da tolerância.

“A Casa da Família Abraâmica será um farol de compreensão mútua, coexistência harmoniosa e paz entre pessoas de fé e boa vontade”, diz o site oficial da instituição.

O irônico disso tudo é que nos Emirados Árabes as construções não podem ter uma cruz cristã no lado de fora, ou seja, a intolerância no espaço aconteceu antes mesmo do projeto começar.

Confira no vídeo abaixo o projeto idealizado:

Caminhamos para o fim?

Para quem conhece os anúncios apresentados no livro bíblico de Apocalipse, notícias que trazem como tema “paz mundial”, “ecumenismo” e “um futuro melhor por meio de um líder político” logo acendem o alerta para os sinais do fim dos tempos.

O motivo é que a Bíblia deixa claro que a última geração desta Terra será enganada pelo anticristo, pelo falso profeta e todo o sistema político-econômico que os cercam.

Primeiramente, em Apocalipse 6, vemos que o anticristo é descrito como o cavaleiro do cavalo branco que possui um arco sem flechas. O símbolo por trás deste personagem que o apóstolo João viu é simples: o arco é um instrumento militar usado para vencer batalhas (algo que aponta para as conquistas políticas do anticristo), porém, ele não tem flechas e vem montado sobre um cavalo branco (fazendo uma referência para o crescimento por meio do discurso de paz, união e diplomacia). O cavalo também representa a força e a velocidade com que esses eventos vão acontecer.

A Bíblia também explica que ele instalará um sistema político-econômico global, em que ninguém poderá comprar ou vender sem a sua “marca” (Apocalipse 13).

Leia também: 3 fatos sobre a “marca da besta”, em Apocalipse

Porém, o anticristo não virá sozinho, ele será apoiado pela figura do falso profeta (Apocalipse 13.12-14), também conhecido como “besta que emerge da terra” (Apocalipse 13.11) ou a “segunda besta” (Apocalipse 16.13).

No livro “A terra vai pegar fogo“, o Bispo Renato Cardoso observa: “A verdade é que quem controla a economia e a religião, controla o povo. Satanás sabe disso e, no fim dos tempos, continuará usando a união desses poderes para conseguir o que deseja. O relacionamento entre as duas bestas (o anticristo e o falso profeta) será como um pacto entre o governo e a religião oficial”.

Estudo do Apocalipse

Se você deseja saber mais detalhes sobre o fim dos tempos segundo a Bíblia, acompanhe a série “Estudo do Apocalipse“, disponível na plataforma Univer Vídeo.

Você também pode adquirir o seu exemplar do livro “A Terra Vai Pegar Fogo“, de autoria do Bispo Renato Cardoso, que explica versículo a versículo deste livro bíblico.


Construção quer “unir” religiões
  • Da Redação / Foto: Reprodução e-architect/Youtube 


reportar erro