Rede aleluia
Como acertar ao higienizar os alimentos
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 3 de Julho de 2022 - 00:05


Como acertar ao higienizar os alimentos

Com cuidados simples, é possível manter contaminações e desconfortos distantes de você

Como acertar ao higienizar os alimentos

Segundo dados do Ministério da Saúde, anualmente 420 mil pessoas morrem no Brasil por consumirem alimentos mal higienizados. De fato, estima-se que uma a cada dez pessoas adoece depois de ingerir alimentos contaminados. Em algumas faixas etárias o risco de morte é maior, como no caso das crianças, pois elas não possuem o sistema imunológico completamente desenvolvido. As maiores vítimas de doenças transmitidas por alimentos (DTA), inclusive, são menores de cinco anos, que representam 125 mil mortes anuais. Idosos, que costumam ter uma resposta imunológica mais lenta, assim como pessoas em grupo de risco, como imunodeficientes, também são mais susceptíveis.

A nutricionista Niedja dos Santos, pós-graduada em Vigilância Sanitária com atuação em segurança dos alimentos, acentua que as doenças transmitidas por alimentos encontram as portas abertas “quando se consome um alimento contaminado por bactérias ou parasitas” e que as infecções mais conhecidas são causadas por Escherichia Coli, Salmonella, H. Pylori e Giardia lambia.

Entre os sinais de que algo não caiu bem estão mal-estar, vômito, dor de barriga, azia, diarreia, gastrite, úlcera e até câncer, alerta a especialista.

Mas o que ocorre para que um alimento – que deveria ser saudável e beneficiar o organismo – se transforme em um vetor de doenças?

Ocorre que, antes de chegar à nossa mesa, o alimento percorre um grande trajeto. E é justamente nesse caminho que ele pode ser encontrado por germes e agentes contaminantes, que ganham espaço graças a uma higiene nula ou deficiente.

Embora os alimentos possam ser transmissores de doenças, isso não é motivo para pânico, uma vez que há meios de assegurar uma alimentação longe de preocupações. Niedja explica que “podemos evitar a proliferação de doenças realizando a higienização simples e correta das frutas, legumes e verduras em nossas casas, de forma fácil e prática. Lembrem-se: cozinhar é um gesto de amor. Todos nós comemos para nutrir o corpo e não para adoecer, então, fique atento aos riscos”.

Confira ao lado o modo correto de higienizar cada tipo de alimento e outras dicas que o ajudarão a manter o prazer de se alimentar.


Como acertar ao higienizar os alimentos
  • Flavia Francellino / Arte: Edi Edson 


reportar erro