Rede aleluia
Campanha conscientiza sobre violência contra os idosos
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 26 de julho de 2020 - 00:05


Campanha conscientiza sobre violência contra os idosos

Dados apontam que agressões contra pessoas da terceira idade quintuplicou durante a quarentena

Campanha conscientiza sobre violência contra os idosos

Segundo levantamento do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, as denúncias de casos de violência contra a pessoa idosa quintuplicaram de março até maio, parte do período da pandemia da Covid-19. Por meio da campanha nacional Fique atento aos sinais, o programa social Calebe, mantido pela Igreja Universal do Reino de Deus, realizou, em junho, ações de conscientização sobre o tema em todos os Estados brasileiros.

O Junho Violeta é dedicado ao combate à violência e também à proteção e à valorização dos idosos. Ao longo do mês, munidos de panfletos e cartazes, voluntários do Calebe saíram às ruas – seguindo as medidas preventivas – para conscientizar a população para as consequências causadas pela violência física e verbal na vida dos idosos. Cerca de 5 mil pessoas foram alcançadas.

A campanha orientou quanto ao melhor modo de agir ou denunciar casos de violência e identificar os sinais mais comuns que indicam que um idoso está passando por esse problema.

Segundo a psicóloga Jussara Bomfim, o idoso é naturalmente mais frágil. “As pessoas não têm a empatia de olhar para o idoso e ver que ele está em outra fase da vida e que, muitas vezes, por causa de sua carência emocional, busca atenção das pessoas ao seu redor.”

A psicóloga explica que é possível observar a mudança de comportamento do idoso quando ele está sofrendo algum tipo de abuso ou violência: “ele fica entristecido, perde a vontade de fazer as coisas, pode acontecer adoecimento frequente ou ele emagrece ou engorda de forma extrema. São sinais de que pode haver algo errado. É preciso ficar atento.”

No ano passado, 48,5 mil registros de violência contra os idosos foram recebidos pelo Disque 100, em todo o Brasil.

Em uma das ações do Calebe, no Ceará, um idoso relatou que estava sofrendo violência e os voluntários o encaminharam para que conseguisse uma vaga na casa de repouso.

“Sabemos que o convívio de muitas famílias, nesse período de pandemia, está fragilizado, mas, com os materiais que foram distribuídos nas ruas e divulgados em redes sociais, queremos alertar sobre essa violência que tem crescido e mostrar que é possível cuidar e zelar pela pessoa da terceira idade”, explica Antônio Santana, responsável pelo Calebe no Brasil.

A voluntária paranaense Priscila Teixeira da Silva, de 37 anos, avalia que foi uma experiência positiva ajudar nas ações. “Eu tenho um avô e busco estar atenta aos sinais e não deixá-lo muito sozinho. Os idosos gostam de conversar, de estar perto, então temos que ter essa consciência de dar amor e de ter paciência com eles.”


Campanha conscientiza sobre violência contra os idosos
  • UNICom / Fotos: Cedidas 


reportar erro