Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 26 de setembro de 2017 - 03:05


Bíblia em 1 ano – Leia o 269º dia

2 Samuel 22, Gálatas 2 e Ezequiel 29

“O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento…” Oséias 4.6

Conhecer a Bíblia é muito importante para todos nós, especialmente nos momentos mais difíceis de nossas vidas, pois Deus fala conosco por meio de Sua Palavra. O Espírito Santo nos conduz, nos orienta, e quando passamos por tribulações, Ele nos faz lembrar do que está escrito na Bíblia, de uma Palavra de Deus que nos conforte. Mas só nos lembraremos se tivermos conhecimento Dela.

Por isso, elaboramos um plano para que você leia a Bíblia em 1 ano. Se você ainda não começou, clique aqui e comece agora, não deixe para amanhã. Você verá o quanto isso transformará a sua vida.

Se você já está nesse propósito, acompanhe a leitura de hoje.

2 Samuel 22

1. E falou Davi ao Senhor as palavras deste cântico, no dia em que o Senhor o livrou das mãos de todos os seus inimigos e das mãos de Saul.

2. Disse pois: O Senhor é o meu rochedo, e o meu lugar forte, e o meu libertador.

3. Deus é o meu rochedo, nele confiarei; o meu escudo, e a força da minha salvação, o meu alto retiro, e o meu refúgio. Ó meu Salvador, da violência me salvas.

4. O Senhor, digno de louvor, invocarei, e de meus inimigos ficarei livre,

5. Porque me cercaram as ondas de morte; as torrentes dos homens ímpios me assombraram.

6. Cordas do inferno me cingiram; encontraram-me laços de morte.

7. Estando em angústia, invoquei ao Senhor, e a meu Deus clamei; do seu templo ouviu ele a minha voz, e o meu clamor chegou aos seus ouvidos.

8. Então se abalou e tremeu a terra, os fundamentos dos céus se moveram e abalaram, porque ele se irou.

9. Subiu fumaça de suas narinas, e da sua boca um fogo devorador; carvões se incenderam dele.

10. E abaixou os céus, e desceu; e uma escuridão havia debaixo de seus pés.

11. E subiu sobre um querubim, e voou; e foi visto sobre as asas do vento.

12. E por tendas pôs as trevas ao redor de si; ajuntamento de águas, nuvens dos céus.

13. Pelo resplendor da sua presença brasas de fogo se acenderam.

14. Trovejou desde os céus o Senhor; e o Altíssimo fez soar a sua voz.

15. E disparou flechas, e os dissipou; raios, e os perturbou.

16. E apareceram as profundezas do mar, e os fundamentos do mundo se descobriram; pela repreensão do Senhor, pelo sopro do vento das suas narinas.

17. Desde o alto enviou, e me tomou; tirou-me das muitas águas.

18. Livrou-me do meu poderoso inimigo, e daqueles que me tinham ódio, porque eram mais fortes do que eu.

19. Encontraram-me no dia da minha calamidade; porém o Senhor se fez o meu amparo.

20. E tirou-me para um lugar espaçoso, e livrou-me, porque tinha prazer em mim.

21. Recompensou-me o Senhor conforme a minha justiça; conforme a pureza de minhas mãos me retribuiu.

22. Porque guardei os caminhos do Senhor; e não me apartei impiamente do meu Deus.

23. Porque todos os seus juízos estavam diante de mim; e de seus estatutos não me desviei.

24. Porém fui sincero perante ele; e guardei-me da minha iniqüidade.

25. E me retribuiu o Senhor conforme a minha justiça, conforme a minha pureza diante dos seus olhos.

26. Com o benigno te mostras benigno; com o homem íntegro te mostras perfeito.

27. Com o puro te mostras puro; mas com o perverso te mostras rígido.

28. E o povo aflito livras; mas teus olhos são contra os altivos, e tu os abaterás.

29. Porque tu, Senhor, és a minha lâmpada; e o Senhor ilumina as minhas trevas.

30. Porque contigo passo pelo meio de um esquadrão; pelo meu Deus salto um muro.

31. O caminho de Deus é perfeito, e a palavra do Senhor refinada; e é o escudo de todos os que nele confiam.

32. Por que, quem é Deus, senão o Senhor? E quem é rochedo, senão o nosso Deus?

33. Deus é a minha fortaleza e a minha força, e ele perfeitamente desembaraça o meu caminho.

34. Faz ele os meus pés como os das cervas, e me põe sobre as minhas alturas.

35. Instrui as minhas mãos para a peleja, de maneira que um arco de cobre se quebra pelos meus braços.

36. Também me deste o escudo da tua salvação, e pela tua brandura me vieste a engrandecer.

37. Alargaste os meus passos debaixo de mim, e não vacilaram os meus artelhos.

38. Persegui os meus inimigos, e os derrotei, e nunca me tornei até que os consumisse.

39. E os consumi, e os atravessei, de modo que nunca mais se levantaram, mas caíram debaixo dos meus pés.

40. Porque me cingiste de força para a peleja; fizeste abater-se debaixo de mim os que se levantaram contra mim,

41. E deste-me o pescoço de meus inimigos, daqueles que me tinham ódio, e os destruí.

42. Olharam, porém não houve libertador; sim, para o Senhor, porém não lhes respondeu.

43. Então os moí como o pó da terra; como a lama das ruas os trilhei e dissipei.

44. Também me livraste das contendas do meu povo; guardaste-me para cabeça das nações; o povo que não conhecia me servirá.

45. Os filhos de estranhos se me sujeitaram; ouvindo a minha voz, me obedeceram.

46. Os filhos de estranhos desfaleceram; e, c i ngi nd o – s e , saíram dos seus esconderijos.

47. Vive o Senhor, e bendito seja o meu rochedo; e exaltado seja Deus, a rocha da minha salvação,

48. O Deus que me dá inteira vingança, e sujeita os povos debaixo de mim.

49. E o que me tira dentre os meus inimigos; e tu me exaltas sobre os que contra mim se levantam; do homem violento me livras.

50. Por isso, ó Senhor, te louvarei entre os gentios, e entoarei louvores ao teu nome.

51. Ele é a torre das salvações do seu rei, e usa de benignidade com o seu ungido, com Davi, e com a sua descendência para sempre.

Gálatas 2

1. Depois, passados catorze anos, subi outra vez a Jerusalém com Barnabé, levando também comigo Tito.

2. E subi por uma revelação, e lhes expus o evangelho, que prego entre os gentios, e particularmente aos que estavam em estima; para que de maneira alguma não corresse ou não tivesse corrido em vão.

3. Mas nem ainda Tito, que estava comigo, sendo grego, foi constrangido a circuncidar-se;

4. E isto por causa dos falsos irmãos que se intrometeram, e secretamente entraram a espiar a nossa liberdade, que temos em Cristo Jesus, para nos porem em servidão;

5. Aos quais nem ainda por uma hora cedemos com sujeição, para que a verdade do evangelho permanecesse entre vós.

6. E, quanto àqueles que pareciam ser alguma coisa (quais tenham sido noutro tempo, não se me dá; Deus não aceita a aparência do homem), esses, digo, que pareciam ser alguma coisa, nada me comunicaram;

7. Antes, pelo contrário, quando viram que o evangelho da incircuncisão me estava confiado, como a Pedro o da circuncisão

8. (Porque aquele que operou eficazmente em Pedro para o apostolado da circuncisão, esse operou também em mim com eficácia para com os gentios),

9. E conhecendo Tiago, Cefas e João, que eram considerados como as colunas, a graça que me havia sido dada, deramnos as destras, em comunhão comigo e com Barnabé, para que nós fôssemos aos gentios, e eles à circuncisão;

10. Recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres, o que também procurei fazer com diligência.

11. E, chegando Pedro à Antioquia, lhe resisti na cara, porque era repreensível.

12. Porque, antes que alguns tivessem chegado da parte de Tiago, comia com os gentios; mas, depois que chegaram, se foi retirando, e se apartou deles, temendo os que eram da circuncisão.

13. E os outros judeus também dissimulavam com ele, de maneira que até Barnabé se deixou levar pela sua dissimulação.

14. Mas, quando vi que não andavam bem e direitamente conforme a verdade do evangelho, disse a Pedro na presença de todos: Se tu, sendo judeu, vives como os gentios, e não como judeu, por que obrigas os gentios a viverem como judeus?

15. Nós somos judeus por natureza, e não pecadores dentre os gentios.

16. Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada.

17. Pois, se nós, que procuramos ser justificados em Cristo, nós mesmos também somos achados pecadores, é porventura Cristo ministro do pecado? De maneira nenhuma.

18. Porque, se torno a edificar aquilo que destruí, constituo-me a mim mesmo transgressor.

19. Porque eu, pela lei, estou morto para a lei, para viver para Deus.

20. estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.

21. Não aniquilo a graça de Deus; porque, se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu debalde.

Ezequiel 29

1. No décimo ano, no décimo mês, no dia doze do mês, veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:

2. Filho do homem, dirige o teu rosto contra Faraó, rei do Egito, e profetiza contra ele e contra todo o Egito.

3. Fala, e dize: Assim diz o Senhor Deus: Eis-me contra ti, ó Faraó, rei do Egito, grande dragão, que pousas no meio dos teus rios, e que dizes: O meu rio é meu, e eu o fiz para mim.

4. Mas eu porei anzóis em teus queixos, e farei que os peixes dos teus rios se apeguem às tuas escamas; e tirar-te-ei do meio dos teus rios, e todos os peixes dos teus rios se apegarem às tuas escamas.

5. E te deixarei no deserto, a ti e a todo o peixe dos teus rios; sobre a face do campo cairás; não serás recolhido nem ajuntado; aos animais da terra e às aves do céu te dei por mantimento.

6. E saberão todos os moradores do Egito que eu sou o Senhor, porquanto se tornaram um bordão de cana para a casa de Israel.

7. Tomando-te eles pela mão, te quebraste, e lhes rasgaste todo o ombro; e quando se apoiaram em ti, te quebraste, e lhes fazias tremer todos os seus lombos.

8. Portanto, assim diz o Senhor Deus: Eis que eu trarei sobre ti a espada, e de ti destruirei homem e animal,

9. E a terra do Egito se tornará em desolação e deserto; e saberão que eu sou o Senhor, porquanto disse: O rio é meu, e eu o fiz.

10. Portanto, eis que eu estou contra ti, e contra os teus rios; e tornarei a terra do Egito deserta, em completa desolação, desde a torre de Syene até aos confins da Etiópia.

11. Não passará por ela pé de homem, nem pé de animal passará por ela, nem será habitada quarenta anos.

12. Porque tornarei a terra do Egito em desolação no meio das terras desoladas; e as suas cidades entre as cidades desertas se tornarão em desolação por quarenta anos; e espalharei os egípcios entre as nações, e os dispersarei pelas terras.

13. Porém, assim diz o Senhor Deus: Ao fim de quarenta anos ajuntarei os egípcios dentre os povos entre os quais foram espalhados.

14. E removerei o cativeiro dos egípcios, e os farei voltar à terra de Patros, à terra de sua origem; e serão ali um reino humilde;

15. Mais humilde se fará do que os outros reinos, e nunca mais se exalçará sobre as nações; porque os diminuirei, para que não dominem sobre as nações.

16. E não será mais a confiança da casa de Israel, para lhes trazer à lembrança a sua iniqüidade, quando olharem para trás deles; antes saberão que eu sou o Senhor Deus.

17. E sucedeu que, no ano vinte e sete, no primeiro mês, no primeiro dia do mês, veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:

18. Filho do homem, Nabucodonosor, rei de Babilônia, fez com que o seu exército prestasse um grande serviço contra Tiro; toda a cabeça se tornou calva, e todo o ombro se pelou; e não houve paga de Tiro para ele, nem para o seu exército, pelo serviço que prestou contra ela.

19. Portanto, assim diz o Senhor Deus: Eis que eu darei a Nabucodonosor, rei de Babilônia, a terra do Egito; e levará a sua multidão, e tomará o seu despojo, e roubará a sua presa, e isto será a recompensa para o seu exército.

20. Como recompensa do seu trabalho, com que serviu contra ela, lhe dei a terra do Egito; porquanto trabalharam por mim, diz o Senhor Deus.

21. Naquele dia farei brotar o poder na casa de Israel, e abrirei a tua boca no meio deles; e saberão que eu sou o Senhor.

O que você aprendeu com a leitura de hoje? Deixe o seu comentário.

E não desanime. Continue firme para ler a Bíblia em 1 ano, aqui no Universal.org.

Acompanhe a leitura do 268º dia clicando aqui.

Se você ainda não começou, clique aqui e comece agora, não deixe para amanhã.


  • Da Redação / Foto: Thinkstock 


reportar erro