Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 23 de março de 2019 - 21:21


A ilusão das religiões

Elas podem até ter uma aparência boa, mas afastam as pessoas da verdadeira fé

O que você faria se, ao caminhar por uma cidade, encontrasse seus moradores desenterrando defuntos, trocando suas roupas e limpando? Assustador e chocante, não é mesmo? Mas a prática é bem comum para o povo Toraja, que habita uma região montanhosa da Indonésia.

Eles mantêm a tradição de, anualmente, tirar um dia para cuidar visualmente dos mortos. Alimentam os cadáveres, trocam as roupas, dão cigarros e os embelezam com acessórios.

Tudo isso porque, de acordo com as crenças locais, a alma da pessoa permanece na casa onde viveu e que um corpo bem preservado e apresentável é sinal de sorte e prosperidade. Então, os familiares usam técnicas para preservar o corpo o máximo possível, num processo que começa já no dia da morte.

Engano

As religiões não são capazes de levar as pessoas a Deus e a uma vida feliz. Na verdade, elas costumam trazer mais males do que bênçãos. Divisões, preconceitos, fanatismos e ignorâncias são alguns deles. “A religião trabalha com a fé emotiva. Da mesma forma como a emoção usa clubes para promover rivalidades (às vezes, até a morte), também o religioso tem sido movido à fé emotiva que, diga-se de passagem, não traz nenhum benefício prático”, comenta o Bispo Edir Macedo.

Geralmente elas trazem uma série de hábitos, regras e crenças inúteis, que parecem bons, mas não os aproximam do Senhor. “A fé Bíblica, por outro lado, não está apoiada em algum tipo de ciência deste mundo. Antes, seus ensinamentos vêm do Espírito do Altíssimo. E o bacana – e inteligente – é que qualquer um tem o direito de provar Suas Promessas e até cobrar do SENHOR o cumprimento delas”, ensina o Bispo.

O apego à religiosidade tira a visão espiritual das pessoas, justamente o que as faria pensar. Tome cuidado com o espírito enganador da religiosidade, guarde sua fé, que é a única capaz de lhe manter com os olhos espirituais sempre abertos.

Participe dos encontros que acontecem às quartas-feiras e domingos no Templo de Salomão. Ele fica localizado na Avenida Celso Garcia, 605, Brás, Zona Leste.

Encontre o endereço de outras Universal aqui.


  • Rafaella Rizzo / Fotos: iStock - Reprodução Claudio Sieber 


reportar erro