Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 6 de outubro de 2019 - 00:05


A felicidade tem que ser buscada

A realização na vida amorosa não acontece naturalmente. É preciso lutar por ela, como fizeram Isla e Alan

Para muitas pessoas, construir um relacionamento é algo que acontece naturalmente: sem sacrifícios nem mudanças. É por isso que normalmente acabam fracassando amorosamente. Para que uma união seja conduzida de maneira adequada e duradoura é preciso colocar em prática os ensinamentos do Autor do Amor: Deus.

A concepção de que a felicidade amorosa acontece sem que se busque por ela fez parte por algum tempo dos pensamentos do engenheiro civil Alan Gomes, de 26 anos. Por causa dessa ideia, ele teve alguns problemas no início do relacionamento com a estudante de jornalismo Isla Gomes, (foto abaixo) de 23 anos.

amor, compreensão, paz, união

Alan cresceu na Universal, mas, por causa dessa falsa ideia que tinha de que não era preciso lutar pela felicidade amorosa, logo seu namoro terminou. Ele reconhece que a culpa do rompimento foi seu comportamento e o fato de que não aceitava mudá-lo. “A Isla viu sinais negativos em mim, o que a fez duvidar se eu era a pessoa certa para ela. Então, terminou o relacionamento comigo. Nesse momento entendi que precisava de ajuda para mudar”, diz ele, que a partir daí começou a frequentar as palestras da Terapia do Amor.

Já Isla cresceu presenciando o sofrimento amoroso de sua mãe, o que a fez ficar temerosa em relação a quem escolheria para ser seu futuro marido. “Eu tinha convicção de que não queria aquele tipo de sofrimento para mim e por isso temia ter frustrações nessa área. Não queria fazer um mau casamento e foi quando também entendi que era importante lutar por essa área”, explica.

Isla viu a mudança nas convicções sobre a vida sentimental e nas atitudes e nos comportamentos de Alan e resolveu também buscar a direção de Deus. “Vi o amadurecimento dele, nós reatamos e passamos a buscar juntos a direção do Autor do Amor na Terapia
do Amor”, diz.

Bênção Divina
Depois de reatarem o namoro, usarem a sabedoria, fazerem mudanças e praticarem os ensinamentos, eles decidiram se casar no Altar da Universal em maio deste ano. Para eles, foi muito importante terem recebido a bênção de Deus no Altar. “Priorizamos casar no Altar porque nossas vidas estão nEle e foi por meio dEle que fui transformado e aprendi a ser melhor. Além de ter recebido a bênção no próprio colo de Deus”, conta Alan.

Agora casados, eles contam que são realizados e têm a felicidade que vem do Altíssimo. “É mais do que sonhei. Ter aquele menino que conheci na adolescência como marido hoje é viver uma história de amor cujo Autor é o próprio Deus. Hoje estamos colhendo os frutos de termos esperado nEle, nos guardado um para o outro e colocarmos nosso relacionamento nas mãos do Nosso Senhor”, finaliza Isla.


  • Camila Teodoro / Fotos: Getty Images e Arquivo Pessoal 


reportar erro