Rede aleluia
A depressão e o suicídio na classe médica
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 10 de Março de 2018 - 03:05


A depressão e o suicídio na classe médica

A depressão e o suicídio na classe médica

No dia 18 de fevereiro último, o Grupo da Saúde promoveu a palestra A depressão e o suicídio na classe médica”, direcionada aos profissionais da saúde.

Em São Paulo, o encontro – conduzido pelo Bispo Eduardo Ribeiro, responsável pelo Grupo da Saúde em todo o Brasil -, aconteceu no 10º andar do Templo de Salomão com transmissão por videoconferência para vários estados.

Uma pesquisa realizada pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) da USP, para saber o quadro de saúde dos profissionais da área, apontou que mais de 40% dos entrevistados sofrem de estresse e depressão.

A pesquisa foi realizada com 145 profissionais, entre eles enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, com idade média de 44 anos.

Diante disso, o grupo tem trabalhado incessantemente para levar uma Palavra de fé e consolo a esses profissionais. E não somente isso, mas mostrar que por meio da fé é possível vencer essa doença da alma chamada depressão.

Os conflitos que os médicos enfrentam, e que levam muitos deles a cometerem o suicídio ou fazerem uso de antidepressivos, foram um dos assuntos tratados durante a palestra. “Justamente o médico que estudou e dedicou tanto tempo para ‘salvar vidas’ se vê angustiado a ponto de querer tirar a sua própria vida”, lamenta o Bispo Eduardo Ribeiro.

O Bispo destaca que tudo isso é gerado não somente em decorrência da pressão e da cobrança que o médico sofre, mas porque existe uma doença na alma, um vazio que só o Espírito Santo pode preencher.

“E Eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco, o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não O vê, nem O conhece; vós O conheceis, porque Ele habita convosco e estará em vós”, João 14.16:17.

“Para confirmar o versículo tema da palestra, tivemos alguns testemunhos, como o caso de uma médica pediatra, que tinha o sonho de ser médica, mas se apavorou ao se deparar com a morte inevitável de crianças e entrou em depressão. Apenas depois que recebeu o Espírito Santo, o Consolador, encontrou forças para se reerguer, provando a cura da alma”, destaca o Bispo.

A missão do Grupo da Saúde é levar auxílio espiritual a todos os sofridos e aflitos no ambiente hospitalar, sejam eles pacientes, familiares ou profissionais.

Se você deseja ser um voluntário faça seu cadastramento pelo número (11) 99427-0987 (WhatsApp).


A depressão e o suicídio na classe médica
  • Por Jeane Vidal / Foto: Cedidas 


reportar erro