Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 17 de janeiro de 2020 - 11:11


466%: Número de divórcios antes de um ano de casamento quintuplica

Casais estão desistindo do matrimônio já no início da vida a dois

O número de divórcio entre casais com menos de 12 meses de matrimônio subiu 466,8% nos últimos anos, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Isso demonstra que não apenas a longa relação pode se desgastar, como também a que nem sequer alcançou as bodas de papel.

O escritor Renato Cardoso, autor do best sellerCasamento Blindado – Seu Casamento À Prova de Divórcio”, ressalta que “naturalmente, não é o tempo que é um bom indicador da qualidade do relacionamento. E sim o que o casal está fazendo dentro deste relacionamento. Pode ser um relacionamento novo, recém-casados. Pode ser um relacionamento longo. Se o casal não estiver fazendo as coisas certas para a relação, obviamente o relacionamento vai acabar”.

O trabalho tem fim?

O problema é que muitos casais acreditam nos contos de fadas, em almas gêmeas ou em romances de Hollywood. Nessas obras de ficção, o trabalho árduo é todo feito até o casamento. E depois disso as pessoas vivem “felizes para sempre”.

“Infelizmente, muitos casais se dão por conquistados no dia do casamento. Agem como se o esforço de conquistar a outra pessoa tivesse acabado quando partiram para a lua de mel”, reflete Renato Cardoso. “Aqui vai um aviso: o jogo apenas começou. Se pararmos de trabalhar para manter o casamento, perderemos o jogo”.

Como fugir das estatísticas

Durante edição recente do programa Inteligência e Fé, Renato Cardoso explicou que “o que resolve o problema do casamento é o casal ter consciência de qual é o problema, em primeiro lugar. A maioria dos casais não sabe nem qual é o problema que eles estão enfrentando. Não sabem qual é a raiz do problema e nem o que fazer para eliminar essa raiz. Se você só lida com as folhas e galhos do problema da relação é natural que cedo ou tarde esse relacionamento acabe”.

O casamento não foi feito por Deus para acabar. Muito menos para acabar no primeiro ano de existência. Viver a dois dá trabalho, mas os cônjuges devem se empenhar em construir um matrimônio sólido.

Se você está passando por dificuldades em seu casamento, seja ele recente ou de longa data, participe todas as quintas-feiras da palestra “Terapia do Amor”. Nela, são ensinadas ferramentas para que o casal, unido, possa enfrentar as dificuldades e crescer como família. Clique aqui e conheça os endereços.


  • Andre Batista / Foto: Getty Images 


reportar erro