Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 14 de dezembro de 2018 - 15:44


África do Sul: 16 dias de ativismo de combate à violência contra a mulher e a criança

Projeto Raabe realiza palestras e reuniões de conscientização, apoio espiritual e emocional às mulheres por todo o país

A campanha “16 dias de ativismo para não violência contra mulheres e crianças” é promovida anualmente pelo governo da África do Sul. O objetivo é discutir as causas e, junto à comunidade, encontrar soluções para o problema que afeta mulheres e crianças em todo o país.
Essa também é a causa pela qual o Projeto Raabe, da Universal, vem lutando desde que foi criado, em 2011. Por isso, abraçou essa campanha que aconteceu no período de 25 de novembro a 10 de  Dezembro de 2018.

Projeto Raabe realiza várias ações por todo o país

Durante os 16 dias, o Projeto Raabe promoveu várias ações, por todo o país, a fim de orientar e conscientizar às mulheres contra o abuso, bem como, oferecer apoio emocional e espiritual às vítimas.
Inicialmente, foi realizada uma reunião especial na Universal, com o tema “Raízes” que, posteriormente, foi levada a dois presídios da África do sul – de Port Elizabeh e  Upington. Na oportunidade, houve também aconselhamento individual.
Para Márcia Pires, responsável pelo projeto Raabe na África do Sul, conscientizar sobre o abuso e discutir estatísticas e metas para diminuir a contingência, sem dúvida, são ações importantes. “Porém, o apoio às vítimas visando reintegrá-las na sociedade, libertando-as dos complexos e medos, e conduzindo-as a conquistarem a paz interior, traduz para mim um ativismo prático com resultados imensuráveis. Esse é o nosso objetivo nesses 16 dias”.
No total, mais de 7,7 mil mulheres participaram da reunião especial, entre elas, 98 detentas. Sendo que mais de 1.300 passaram pelo atendimento individual.

Uma história de superação

A jovem Babalwa Mdlangazi possui um histórico de abuso e violência sexual. Durante muitos anos ela foi atormentada pelo ódio que lhe corroía por dentro. Ela estava presente na reunião e reconhece que se identificou muito com a história de vida de Márcia Pires.
“Minha mente retornou ao passado. Mas eu também vi que consegui vencer e arrancar todas as raízes que estavam controlando minha vida há muito tempo. Isso só foi possível graças aos aconselhamentos do grupo Raabe”.
Inclusive, ela conta que sua cura interior só aconteceu quando entendeu que precisava perdoar. E isso só aconteceu depois de participar do curso de autoconhecimento e receber os aconselhamentos.
“Hoje, sou uma pessoa completamente diferente. Meu passado não me controla mais. Deus me deu poder para vencer o que me aprisionava ao passado e me deu uma nova vida”, comemora.


  • Redação / Fotos: cedidas 


reportar erro