6 coisas que você nunca deve fazer durante uma discussão

Por Jeane Vidal / Foto: Thinkstock

Todo casal, por mais que tenha uma relação saudável e harmoniosa, também passa por momentos de turbulência, seja por uma situação mal resolvida, algum ponto de discordância, problemas financeiros, pontos de vistas diferentes, entre outros.

É natural que em determinados momentos surjam atritos e uma discussão seja necessária e inevitável. Mas, ela pode ser positiva se o casal souber conduzi-la de forma racional e objetiva, tendo como foco, exclusivamente, a solução do problema em questão.

Os autores do livro “Casamento Blindado 2.0", Renato e Cristiane Cardoso, mencionam duas regras básicas e eficazes para se resolver problemas:

Definir, resolver, prevenir – Definir o problema (descobrir a sua causa), descobrir maneiras de resolvê-lo e, se possível, prevenir para que não aconteça de novo;

Não levar nada para o lado pessoal – Quem é sentimental, costuma levar tudo para o lado pessoal, e isso não é eficaz. É preciso saber separar as coisas. O foco numa discussão deve ser encontrar a solução do problema e não atacar o parceiro.

Entretanto, para que o casal consiga atender essas duas regras básicas é preciso se policiar para não cometer alguns erros muito comuns, e que transformam o que deveria ser uma conversa madura, numa discussão sem fim. Listamos abaixo seis deles:

1 – Usar a emoção

Os autores costumam dizer que emoção não é a ferramenta correta para resolver problema. No calor da emoção geralmente falamos sem pensar e tomamos atitudes, das quais, nos arrependemos depois. Então não aja por impulso, espere a raiva passar, respire fundo, acalme-se, e quando os dois estiverem de cabeça fria, sentem-se e conversem. Se no seu trabalho você é capaz de dominar as emoções para não perder o emprego, por que não fazer o mesmo para proteger seu relacionamento? Qual é mais importante?

2 - Envolver outros problemas no meio de uma discussão

Saber o porquê e sobre o que estão discutindo é primordial. O que muitas vezes acontece é que o casal começa a discussão por um motivo específico e no meio dela muda completamente o foco e traz à tona questões que nada têm a ver com o motivo inicial da discussão. “É necessário ter em mente o assunto principal e focar somente nele. Defina e discuta sobre um ponto específico”, orienta Renato Cardoso.

3 - Falar tudo o que sente ou pensa

Sob o pretexto de que estão sendo sinceros e abrindo o coração, muitos casais, na hora da briga, acabam falando coisas que magoam a outra pessoa, provocando o distanciamento entre eles. É natural que sentimentos e pensamentos sejam despertados em nós em momentos como esse, mas, para a sobrevivência do relacionamento, é extremamente importante saber administrá-los e se livrar deles para que não venham destruir a relação.

4 - Interromper quando o outro está falando

Ouça mais e fale menos. Ainda que, de início, você não concorde com a pessoa, preste atenção no que ela está falando, não fique pensando no que vai responder, em vez disso, procure compreendê-la e se colocar no lugar dela. “Se as reclamações não forem devidamente ouvidas, vocês não poderão entender qual é o problema, e, consequentemente, o mesmo não será resolvido. O seu foco tem que ser resolver o conflito entre vocês, mudar a situação, e não lutar contra a outra pessoa”, aconselha Renato.

5 – Fazer acusações

Tenha em mente que o alvo é o problema e não o parceiro. O tom de voz faz toda a diferença. Se você usar um tom acusativo, certamente essa conversa não vai acabar bem. “Ataque o problema e não a pessoa. O seu inimigo não é a pessoa que você ama, mas é o problema que tem prejudicado vocês”, destaca Renato. “Em vez de chamá-lo de grosso, por exemplo, diga que você não gostou do jeito que ele falou com você. Assim, ressaltará o problema, que é o ‘jeito’ de falar, sem ofender a pessoa”, aconselha. Note novamente o tom não acusativo e o foco em descobrir as causas do problema sem atacar ninguém.

6 - Encerrar a conversa sem chegar a uma solução

Renato explica que o casal deve entrar num acordo sobre o que farão a respeito do problema, enquanto isso não for definido a discussão não pode ser encerrada. "Trata-se de um acordo. Afinal, para que a situação não se repita, é preciso fazer diferente de como estava sendo feito até então, acordando qual será a parte de cada um".

Para aprender mais sobre como ter um relacionamento feliz, participe da Terapia do Amor, todas as quintas-feiras, no Templo de Salomão, ou em uma Universal mais próxima de você. Consulte aqui os endereços.

ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente

Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach e Eliana Caetano

Editora de Conteúdo Web:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Maria do Rosário, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone: (11) 3321-5244

Endereço: Rua dos Missionários, 139, Santo Amaro - São Paulo (SP)

Cep: 04729-000