Uso excessivo das redes sociais causa ansiedade e baixa autoestima

Pesquisa realizada nos Estados Unidos comprova que sair do Facebook aumenta o bem-estar das pessoas. Entenda


Por Jeane Vidal / Fotos: iStock

As redes sociais, sem dúvida, tomaram um espaço considerável na vida das pessoas. São crianças, jovens e adultos que, simplesmente, não conseguem se manter longe delas.

A todo instante elas precisam dar uma espiada na sua timeline (linha do tempo) para curtir, comentar ou compartilhar alguma postagem. Ou, simplesmente, para olhar o perfil de um amigo, a fim de saber o que ele anda fazendo. Isso quando não é para postar fotos da última viagem, do treino na academia ou daquela selfie feita no meio do dia.

Mas existem também os usuários que utilizam as redes sociais para fins profissionais e, neste caso, a quantidade de postagens e o tempo conectado é fundamental para trazer os resultados esperados.

Facebook estimula ansiedade e depressão, diz pesquisa

Contudo, estudos já comprovaram que o uso excessivo das redes sociais contribui significativamente para o aumento do estresse, baixa autoestima e até depressão.

A exemplo de uma pesquisa realizada por economistas da Universidade de Nova York com 1.700 pessoas. Os pesquisadores dividiram os usuários em dois grupos. Um dos grupos desabilitou durante um mês seu perfil no Facebook, enquanto o outro se manteve conectado.

Ao término do mês, ambos os grupos responderam um questionário sobre como se sentiram fora da rede ou conectados. A pesquisa concluiu que no grupo das pessoas que desativaram a conta, ficou provado que elas conseguiram aproveitar mais momentos com a família e com os amigos. Elas alegaram, também, ter se sentido mais de bem com a vida. Menos deprimidas e ansiosas.

Leia também: o uso compulsivo das redes sociais é um vício

Analise com o que tem consumido o seu tempo

Diante disso, é preciso fazer uma autoanálise: até que ponto vale a pena desperdiçar tanto tempo da nossa vida com algo tão trivial e que mais nos prejudica do que nos beneficia? Visto que seu uso excessivo afeta não somente as relações pessoais, familiares, mas também traz danos emocionais, como comprova o estudo.

Ademais, as redes sociais têm se mostrado verdadeiras fábricas de ilusões. Elas promovem a ideia de uma vida perfeita e feliz, quando na verdade, para muitos têm sido apenas um meio eficaz de mascarar a realidade e disfarçar os quão infelizes e frustrados estão.

Se você tem dúvidas se de fato as horas que tem passado no Facebook, por exemplo, tem lhe privado de coisas mais proveitosas, faça uma simples comparação: quantos dias você fica sem acessar as suas redes sociais? Agora, responda: há quantos dias você não pega um livro para ler, não senta para conversar com sua mãe ou vai ao mercado com ela? Ou, quem sabe, o seu filho, que está sempre insistindo para que você brinque com ele, mas nunca sobra tempo. Ou, aquele amigo que você não vê há bastante tempo e, por diversas vezes, já prometeu visitá-lo, mas, para variar, o tempo é curto, não é mesmo?

Aliás, lhe falta tempo até para cuidar do seu bem-estar físico e espiritual. Há quanto tempo você promete a si mesmo começar uma atividade física, se aplicar mais à oração e à leitura da Bíblia e ir com mais frequência à igreja?  Mas, a desculpa é sempre a mesma.

Uma questão de prioridade

Será que realmente é uma questão de tempo ou de prioridade?

Porque o problema não está em dar aquela espiada na sua rede social, mas o tempo desperdiçado nela. Pois, de acordo com o estudo, as pessoas que desativaram seus perfis ganharam cerca de uma hora a mais para utilizarem de forma mais saudável e produtiva.

Portanto, a proposta não é radicalizar e sair totalmente das redes sociais.  Basta adotar estratégias para não se tornar escravo delas. Assim, não perderá momentos preciosos da vida real que, convenhamos, é muito mais fascinante.

Estabeleça alguns critérios para usar a internet de forma equilibrada

Seguem abaixo algumas dicas do que você pode fazer para ganhar em qualidade de vida e se manter conectado ao que realmente é importante para você:

– Desabilite as notificações do celular. Isso irá ajudá-lo (a) a se esquecer um pouco dele. Estabeleça um horário para verificar as atualizações. Não se preocupe, elas estarão lá.

– Desfrute os momentos com a família, os amigos e com a pessoa amada, sem a necessidade de registrá-los em fotos. Talvez você fique tão preocupado em fotografar, em pegar o melhor ângulo, que acaba perdendo detalhes preciosos. Eles não voltarão mais.

– Se o seu cônjuge anda reclamando da sua permanência excessiva no celular é porque, de fato, você está exagerando. Reveja suas prioridades, para o bem do seu relacionamento.

– Se quer saber o que seu amigo anda fazendo, resista à tentação de fuçar o perfil dele e convide-o para um café. O bate-papo olho no olho é a melhor maneira de cultivar uma amizade verdadeira.

– Talvez você tenha esquecido, mas o aparelho tem o botão liga/desliga. Não hesite em usá-lo. Desligue, sem medo.

ler mais
Notícias relacionadas
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Uso excessivo das redes sociais causa ansiedade e baixa autoestima

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games