O medo irracional de amar e a dor do amor

Um trauma emocional pode causar sérios danos no comportamento de uma pessoa. Saiba como resgatar a sua crença no amor


Por Michele Roza / Fotos: iStock

O medo irracional de amar ou se apaixonar por alguém. Essa ameaça é tão assustadora para algumas pessoas que é tratada como uma fobia, um transtorno de ansiedade. A filofobia pode ser desencadeada a partir de um intenso trauma emocional advindo de experiências negativas acerca do amor.

Segundo a psicóloga Camila D´Ávila Moura, especialista em relacionamentos, os casos de filofobia estão relacionados às experiências acumuladas, como o fim de um relacionamento e uma traição. A experiência negativa leva a uma frustração porque havia uma expectativa que não se concretizou.

A pessoa tem medo de se aproximar e se permitir gostar de outra pessoa novamente, porque encara isso como uma ameaça. Então, passa a agir de forma autodepreciativa, mantém relacionamentos curtos com parceiros diferentes e os interrompe sem muitas explicações.

“A forma como as pessoas lidam com o problema é que vai dizer o quanto a experiência ruim vai influenciar nas próximas relações, ou não. Para alguns, a frustração é dolorida, penosa e traumática. Associar o amor e o relacionamento afetivo à frustração é o que explica essas reações. É uma coisa decente e boa, mas o cérebro, automaticamente, diz que é ruim”, relata a psicóloga.

Dor emocional

Frustrações e decepções geram uma dor emocional. Muitas vezes, o motivo principal do medo que as pessoas sentem está na questão de não saberem lidar com ela. Além disso, elas não querem lembrar o que aconteceu (divórcio dos pais, violência doméstica, traição). Tentam mascará-la com subterfúgios e procuram válvulas de escape rasas, vão para a balada atrás de falsas alegrias, consumo excessivo de álcool e outras drogas e relacionamentos efêmeros.

Os especialistas Renato e Cristiane Cardoso, apresentadores do programa The Love School – A Escola do Amor, na Record TV, explicam que quando a causa da dor é emocional, você tem que buscar eliminar esse mal pela raiz.

“Muitas pessoas que passam por desilusões, rejeição e que terminam um relacionamento passam a ter comportamentos autodestrutivos e compulsivos, como os vícios. Enfim, tudo promovido pela dor que elas estão querendo amenizar. Enquanto você tem condições de dominar as suas emoções e os seus pensamentos, você consegue lidar com a causa da dor. Mas, quando você não tem, não tente com outros relacionamentos ou vícios. Não é por aí. Assim, você só vai aumentar mais razões para ter dor. Você tem que identificar a causa dela, ir lá no emocional, no psicológico e talvez até no espiritual. Lidando com isso, você vai sim eliminar a raiz da dor”, disseram.

Adriane é um exemplo de quem sofreu muito por não saber lidar com a dor emocional. Ela acumulou episódios traumáticos na vida, desde o divórcio dos pais quando ainda era muito pequena. Sendo criada pelo padrasto, presenciou cenas de violência doméstica que formaram dentro dela um sentimento de rejeição. Para corroborar ainda mais o trauma, na adolescência, o seu primeiro envolvimento amoroso foi com um homem casado. Mais uma decepção. Após esse episódio, ela passou a viver relacionamentos vazios e depreciativos.

Assista ao vídeo abaixo com o testemunho dela na íntegra e saiba como Adriane conseguir se libertar dos comportamentos depreciativos e mudou totalmente a sua vida:

Acredite no amor

Quem não acredita no amor é uma pessoa machucada e não é feliz. Normalmente, são pessoas frustradas, infelizes, tristes, amarguradas. Aí, que se encontra a raiz do problema, portanto, a sua solução também.

“A raiz do problema é que você desacreditou do amor porque você nunca viu o amor. Nunca conheceu o amor de verdade. As pessoas nascem acreditando no amor. Mas, ao longo da vida, elas passam por decepções que a fazem descrer. Então, acha melhor se fechar no seu mundo para não se machucar mais. Foram essas decepções e essas razões que fizeram você descrer do amor. Mas, descrer não faz o amor desaparecer ou deixar de existir. Para tirar benefício do amor, você precisa crer nele”, afirmou o casal Renato e Cristiane.

Terapia do Amor

Se você quer resgatar a sua crença no amor, participe da Terapia do Amor. A cada palestra, casais, noivos, namorados e solteiros aprendem sobre o amor inteligente e como desenvolver o relacionamento a dois.

As palestras acontecem todas as quintas-feiras na Universal. Encontre o endereço mais perto da sua casa e se informe sobre os horários em sua cidade. Em São Paulo, a palestra acontece no Templo de Salomão, às 10h, 15h e 20 horas, à Avenida Celso Garcia, 605, no Brás, zona leste da capital paulista.

 

ler mais
Notícias relacionadas
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O medo irracional de amar e a dor do amor

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games