Rede aleluia
Segundo Amor
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Bispo Macedo | 14 de fevereiro de 2019 - 00:01


Segundo Amor

Segundo Amor

Não sentir mais aquela emoção do primeiro encontro não significa, necessariamente, abandono do primeiro amor.

Alegria da salvação, libertação do passado e da má consciência, enorme desejo de salvar outros, fazer a vontade de Deus e obedecer à Sua Voz, são algumas características da fé ativa. Elas proporcionam a experiência inesquecível do primeiro encontro com Deus. Mas, na prática, o primeiro amor se destaca mesmo, pelo desejo de ganhar almas.

Quem nasce do Espírito quer, no mínimo, o mesmo para seus semelhantes. Mudar esse foco significa abandono do primeiro amor.

O passar dos anos esfriou muitos do objetivo inicial. A visão espiritual dos perdidos cegou e deu lugar à visão de si mesmos.

E aí se cumpre a profecia:

Quem achar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a sua vida, por amor de Mim, achá-la-á. Mateus 10.39


reportar erro