Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Bispo Macedo | 19 de abril de 2019 - 00:01


O Sacrifício

A fé sem sacrifício só serve para iludir...

Dar-vos-ei pastores segundo o Meu coração, que vos apascentem com conhecimento e com inteligência. Jeremias 3.15

A fé sem sacrifício só serve para iludir. Sacrifício é o que identifica, mostra, prova a existência da fé. Sem o sacrifício, a fé é cega.

O mesmo se dá no batismo com o Espírito Santo. Qual a prova visível do batismo com o Espírito Santo? Eu sei que o Espírito Santo testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. Mas, para separar a pessoa para a Obra de Deus, é preciso que haja sinais de que ela foi batizada com o Espírito. E como isso é provado? Só quando há prova visível de transformação de vida.

Assim é com respeito à fé. O Espírito Santo, através de Tiago, faz a mesma colocação com respeito à diferença da fé cega da fé sacrificial, quando diz:

Meus irmãos, qual é o proveito, se alguém disser que tem fé, mas não tiver obras? Pode, acaso, semelhante fé salvá-lo? Se um irmão ou uma irmã estiverem carecidos de roupa e necessitados do alimento cotidiano, e qualquer dentre vós lhes disser: Ide em paz, aquecei-vos e fartai-vos, sem, contudo, lhes dar o necessário para o corpo, qual é o proveito disso?
Assim, também a fé, se não tiver obras (sacrifício de obediência), por si só está morta. Mas alguém dirá: Tu tens fé, e eu tenho obras; mostra-me essa tua fé sem as obras, e eu, com as obras (obediência), te mostrarei a minha fé. Crês, tu, que Deus é um só? Fazes bem. Até os demônios creem e tremem.
Queres, pois, ficar certo, ó homem insensato (se opõe à razão), de que a fé sem as obras (sacrifícios) é inoperante? Não foi por obras (obediência) que Abraão, o nosso pai, foi justificado, quando ofereceu sobre o altar o próprio filho, Isaque?
Vês como a fé operava juntamente com as suas obras; com efeito, foi pelas obras (obediência) que a fé se consumou, e se cumpriu a Escritura, a qual diz: Ora, Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça; e: Foi chamado amigo de Deus.
Verificais que uma pessoa é justificada por obras e não por fé somente.
De igual modo, não foi também justificada por obras a meretriz Raabe, quando acolheu os emissários e os fez partir por outro caminho?
Porque, assim como o corpo sem espírito é morto, assim também a fé sem obras é morta. 
Tiago 2.14-26

Chama atenção o versículo:

Não foi por obras que Abraão, o nosso pai, foi justificado, quando ofereceu sobre o altar o próprio filho, Isaque?

Quer dizer: a fé de Abraão foi acompanhada do sacrifício de Isaque, seu filho.

Lembro que Ester e eu concordamos em sacrificar nossos filhos. Ao invés de investirmos na educação acadêmica deles para servirem a si mesmos e ao mundo, optamos por investir na educação da fé sacrificial para servirem ao Deus Altíssimo. Certamente isso é loucura para os que se perdem. Não para nós, que vivemos na fé abraâmica! Nenhum deles fez faculdade, mesmo tendo condições de estudar nas melhores universidades do mundo.

Ester e eu praticamos essa fé sacrificial que aprendemos com Abraão. Ninguém mandou fazer isso senão a Voz do Espírito da Fé.

Portanto, a fé bíblica diz respeito à fé sacrificial que a própria fé exige. Fé sem obras, isto é, sem os sacrifícios, é morta, da mesma forma como o corpo sem espírito é morto. E prova disso é o fato de a maioria dos crentes em Jesus viver nos limites da penúria econômica, familiar e, o pior, espiritual.

Nenhum milagre de Jesus foi realizado pela fé sem a ação do sacrifício. O cego de nascença, em João 9, é um exemplo. Jesus poderia tê-lo curado imediatamente. Não o fez porque o cego não pediu. Isto é, não esboçou fé que chamasse Sua atenção. Para despertar-lhe fé, o Senhor teve de fazer lodo, “sujar” seus olhos e mandá-lo ao tanque de Siloé. Caso não obedecesse mostraria ausência de fé e não seria curado. Sua obediência acompanhada de sacrifício o curou.

A essência da Fé exige o sacrifício, exemplo do Próprio Deus quando ofereceu Seu Filho Jesus em sacrifício.

Sacrifício não trata de quantidade, mas de qualidade. Sacrifício perfeito envolve a alma de cada um. Todos têm condições de subir no Altar e sacrificar. Ainda que a pessoa tenha disponível um centavo, se é o seu tudo, para Deus representa sua alma. Isso é o perfeito sacrifício que o Altar exige.

Se não há o perfeito sacrifício, o Altar não recebe e, por conta disso, não responde.


reportar erro