Rede aleluia
Meu maior problema…
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Bispo Macedo | 19 de Fevereiro de 2021 - 11:19


Meu maior problema…

Um relato sincero e impactante

Meu maior problema…

Meu nome é Pamela, estou retornando à igreja após sete anos mais ou menos.

Fui educada na igreja, mas por querer viver a minha vida, sem regras e sem responsabilidades, saí e, claro, paguei um alto preço de dor e muito sofrimento.

Após anos ausente, eu pude estar na última reunião do Godllywood e, sinceramente, eu posso dizer que existia uma Pamela antes e uma depois.

Meu maior problema sempre foi o orgulho, que por sua vez, traz consigo a altivez e prepotência. E assim eu fui até aquele dia.

Saí de casa já pensando que ia ouvir tudo que eu já sabia da Bíblia, que nada acrescentaria em mim, que já era a esposa exemplar e mulher sábia. Pra mim, ouvir uma pregação de outra mulher me dizendo como eu deveria agir me incomodava profundamente.

À medida que eu ia ouvindo a Palavra, fui ficando cada vez menor na poltrona. Olhei para os lados, disfarcei o desconforto pra ninguém notar. Eu estava reconhecendo, enfim, que as coisas não andavam tão bem quanto eu imaginava. Segurei as lágrimas em alguns momentos. Mudei meu semblante. Reconheci meu erro, minha deficiência e insignificância. Ao final da reunião, a vergonha era maior que o orgulho. Eu não era tão perfeita quanto imaginava.

Quando cheguei em casa, visitei todos os cômodos de minha casa. Engraçado que só duas horas atrás, não havia notado nada de errado e agora nada parecia estar certo.

Chorei muito. É um recomeço dolorido e difícil. Cheguei àquela reunião uma menina e voltei esposa, mãe de dois filhos. Saí uma de casa, voltei em 4 pessoas.

Eu só queria mesmo dividir a mudança externa que aconteceu um dia depois do nosso encontro. Foram três dias de trabalho árduo e está tudo como agrada ao Espírito Santo. Meu coração está disposto. Preciso matar o orgulho antes que ele mate a minha fé.

Agora tenho fome de ouvir, tenho sede de aprender. Só quero que saiba que apenas uma Palavra, saída de seus lábios, muito provavelmente mudou a minha vida e de minha família para sempre.

Para cada crítica que a senhora recebe, também há uma alma impactada pelo Espírito Santo em sua vida.

A sra. nem sabe, mas muitas vezes tem sido minha melhor amiga.

Que Deus a abençoe.

Com amor,

Pamela Beatriz

P.S: Ah, e minha mudança foi tão grande que meu marido passou a frequentar a Universal, e no último dia 09/02 se batizou nas águas. Não cabe em mim tanta alegria ❤

Se você também deseja receber essa alegria, marque na sua agenda e participe da próxima reunião do Godllywood Autoajuda, no dia 27 de março, último sábado do mês, às 18h, no Templo de Salomão, com transmissão ao vivo pelo univervideo.com


Meu maior problema…
  • Cristiane Cardoso  


reportar erro