Rede aleluia
Fraquezas e Fracassos
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Bispo Macedo | 1 de Maio de 2018 - 00:01


Fraquezas e Fracassos

Fraquezas e Fracassos

Por que muitas pessoas carregam o estigma do fracasso?

Primeiro, porque lhes falta o Espírito de Deus, Espírito da Fé, do Poder de Deus. E quando as pessoas não têm o Espírito de Deus, o costume é reclamar, lamentar e, de alguma forma, buscar a compaixão dos outros. São como crianças que quando caem no chão, se não tiver ninguém por perto, se levantam e continuam brincando. Mas, se tem algum adulto por perto, imediatamente começam a chorar, almejando pena ou consolo. Podemos compreender isso devido à infantilidade.

Porém, parece que a maioria adulta carrega esse tipo de comportamento por toda a sua vida, haja vista que, qualquer que seja seu problema, grande ou pequeno, a primeira atitude é achar alguém para ouvi-la e, então, receber afagos de conforto e carinho, mas que não resolvem o problema.

A fé inteligente trata isso com desprezo. Para tirar proveito da fé bíblica, não se pode dar atenção a sentimentos do coração.

Quando o Senhor Jesus foi ressuscitar uma criança, Sua primeira atitude foi esvaziar o quarto onde estavam parentes, vizinhos e amigos da família chorando (Lucas 8.54).

A fé bíblica é racional, inteligente e sobrenatural. Nada tem a ver com o que se sente, mas com o que está escrito. Essa fé bruta é que resolve.

O problema do fraco não é ser fraco, mas se render às fraquezas e se entregar aos sentimentos ou emoções do coração. O fraco não pensa, e quando pensa é para pesar as palavras de gente fraca como ele. Se ele raciocinasse e conferisse o que o Todo-Poderoso tem falado na Bíblia, com certeza o fraco pensaria como Deus pensa e reagiria contra suas debilidades.

O fraco busca sentir ao invés de pensar. Isso o debilita ainda mais, porque coração humano (fonte de sentimentos) é extremamente corrupto e enganador. Quem o segue se arrebenta.

Já o mesmo não se dá com quem obedece à Palavra de Deus. Quem a usa pensa, avalia e logo conclui que, pela sua fé no Senhor Jesus Cristo, ela tem de ser mais do que vencedora.

A fé não sente, não chora e não busca meiguice, dó, pena, ternura ou piedade das demais pessoas. Antes, ela depende da misericórdia do Altíssimo e se revolta, age, toma atitude de coragem contra o que a enfraquece.

Quem usa a fé bíblica elimina o medo de perder. E sem o medo de perder, ela parte com todas as suas forças para cima do problema, convicta do cumprimento da Palavra de Deus, porque sabe que o Espírito Santo é com ela.


reportar erro