Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Bispo Macedo | 17 de maio de 2019 - 00:00


Felicidade existe?

Onde e como alcançá-la?

Já viu alguém correndo atrás do vento? Imagine uma infinidade de baratas tontas! Pois é. Assim caminha a humanidade.

Todos, numa busca frenética, têm colocado toda a sua força na conquista da felicidade.

Os fortes atropelando os fracos para a posse mais rápida.

A maioria pobre, se deixando levar pelo vento da “sorte”, diz: “Quem sabe um dia minha vida muda?”. E vai levando de esperança em esperança.

Os enfermos buscam na cura física a felicidade. Para os tais, a saúde é o mais importante.

Outros acreditam que a felicidade está na realização profissional. Para os tais, o dinheiro é a alma da felicidade.

E para os solitários ou frustrados no amor a felicidade está no encontro de sua outra metade. E daí, se rendem às aventuras amorosas como um jogo de loteria. De qualquer jeito, tentam a sorte no amor para serem felizes.

Porém, todos, sem exceção, têm se perdido em suas buscas. Quanto mais se mexem nas buscas, mais se afundam na areia movediça deste mundo. Ao ponto de questionarem a existência da felicidade, como os ateus o fazem em relação à existência de Deus.
Se existe felicidade, então onde e como alcançá-la?

Quem pode me responder? Questionam os infelizes…

Para se alcançar a felicidade, antes é preciso tomar posse da vida. Mortos não têm direito à felicidade. Enquanto a pessoa estiver espiritualmente morta nos seus delitos e pecados, como alcançar a felicidade? Impossível.

Primeiro, ela precisa ressuscitar. E para tanto, ela tem que buscar o Autor da vida.

O Senhor Jesus disse:

Eu Sou a ressurreição e a vida. Quem crê em Mim, ainda que esteja morto, viverá. João 11.25

Crer no sentido de entregar-se de corpo, alma e espírito.

A partir dessa entrega incondicional, ela recebe vida. E então, terá o direito à felicidade tão sonhada.

Quem for humilde suficiente, para submeter-se e temê-Lo, herdará riquezas, e honra, e vida. Provérbios 22.4
Ou seja: será feliz na Terra.

O Jejum de Daniel é a grande oportunidade para os, literalmente, infelizes. Começa a partir deste domingo – 19/05/19 – para quem quiser se isolar de toda e qualquer informação secular em tevê, rádio, internet, revistas, jornais, esportes, entretenimento, enfim, jejum audiovisual total.

Será feita uma faxina no coração e na mente de toda a bagagem inútil que este mundo oferece. Reservando-nos apenas às informações relativas à Palavra de Deus – a Bíblia Sagrada.

Então, no decorrer desse jejum, o Espírito de Deus será derramado conforme Sua promessa em Joel 2.13-19.

Deus, na Pessoa do Espírito Santo, abra o entendimento de todos os que creem.


  • Colaborador: 

  • Bispo Edir Macedo


reportar erro