Rede aleluia
A alegria de Davi
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Bispo Macedo | 11 de Setembro de 2021 - 00:01


A alegria de Davi

Ele estava tão feliz, que não se importou em dançar na frente de seus súditos...

A alegria de Davi

Na meditação desta última sexta-feira (disponível pelo univervideo.com), observamos a alegria de Davi ao trazer a arca para Jerusalém. Ele estava tão feliz, que não se importou em dançar na frente de seus súditos, para a vergonha de Mical, sua esposa amarga. Mas, quanto a ela, escreveremos um outro post…

No fundo, Davi sempre quis servir a Deus. Eu imagino que Davi, quando criança, gostava de ouvir as histórias que lhe contavam sobre quando havia um tabernáculo em Israel e como os levitas trabalhavam nele, dia e noite. E como ele não era filho de levita, ele só sonhava com tal função privilegiada de poder viver para servir a Deus.

O que ele não sabia é que Deus vê os corações, e quando viu o dele, o viu como um verdadeiro levita, mesmo não tendo o sangue de um. Enquanto os próprios levitas da época não se mobilizavam para voltar com os costumes do tabernáculo, Davi fez questão de que isso fosse a primeira coisa a ser feita, assim que se tornou rei. Ele conquistou Jerusalém, para então trazer a Arca da Aliança para o seu devido lugar.

Davi, então, mandou construir o tabernáculo justamente em frente do seu palácio, não só para admirá-lo todos os dias, mas para estar perto dele, sentir-se parte dele, como ele fala tão bem no Salmo 84:

“Quão amáveis são os teus tabernáculos, SENHOR dos Exércitos! A minha alma está desejosa, e desfalece pelos átrios do Senhor; o meu coração e a minha carne clamam pelo Deus Vivo. Até o pardal encontrou casa, e a andorinha ninho para si, onde ponha seus filhos, até mesmo nos teus altares, Senhor dos Exércitos, Rei meu e Deus meu. Bem-aventurados os que habitam em tua casa; louvar-te-ão continuamente…Porque vale mais um dia nos teus átrios do que mil. Preferiria estar à porta da casa do meu Deus, a habitar nas tendas dos ímpios.”

O desejo de Davi era servir a Deus, por isso ele foi escolhido para ser rei de Israel. E por isso também que não foi profeta, nem levita, nem sacerdote que teve a inspiração de construir a CASA do SENHOR, e sim Davi.

A primeira característica de quem tem o coração segundo o coração de Deus é essa: de servi-LO todos os dias da sua vida. Uma característica extremamente espiritual que só o Próprio Deus vê, e por isso escolhe e presenteia com o Seu Espírito.

Eis a razão de muitos não receberem o Seu Espírito.
O querem para quê? Se Ele veio para que possamos servir a Deus como levitas?


A alegria de Davi
  • Cristiane Cardoso 


reportar erro