Rede aleluia

Terapia do Amor | 27 de novembro de 2019 - 12:33


A grama do vizinho é sempre mais verde. Será?

Renato e Cristiane Cardoso ensinam o segredo para tornar o relacionamento melhor e mais feliz

Infelizmente, o ser humano, de modo geral, tem por hábito se comparar às demais pessoas. Isso em todos os aspectos, seja na vida profissional, financeira ou pessoal.

É aquela velha história de achar que a vida do vizinho está sempre melhor que a sua, observa o Bispo Renato Cardoso. Em vez de se concentrar na própria vida, a pessoa fica se comparando com as demais.

E, consequentemente, sempre chega à conclusão que a vida do outro é melhor, o cônjuge do outro melhor, mais carinhoso (a), mais inteligente, mais romântico, etc.

Como tornar a sua grama mais verde

Mas, a verdade é que a grama é mais verde onde ela é regada, ressalta o Bispo Renato.

O que significa isso?

“Significa que para colhermos um bom casamento temos que olhar para dentro do nosso relacionamento e não para fora. Pois, quando você olha para fora, acaba se comparando e desejando algo que, talvez, você nunca vai alcançar, algo que você não pode tocar ou que nem é aquilo que você acha que é. Nem tudo o que aparenta ser, é”, explica o Bispo.

É preciso se conscientizar de que casamento é uma sociedade entre duas pessoas, portanto, não interessa o que terceiros estão fazendo. A única coisa com que o casal deve se preocupar é o que pode fazer para tornar o relacionamento melhor, ou seja, tornar a própria grama mais verde.

Ao agir assim, o casal conseguirá detectar os pontos que precisa trabalhar para tornar o casamento melhor e mais feliz.

Olhe para dentro do relacionamento e não para fora

Para Cristiane Cardoso, é importante que a pessoa esteja com o olhar voltado sempre para o cônjuge, pois, dessa maneira, o foco e a atenção dela sempre estará nele. Sendo assim, ela poderá observar as qualidades do parceiro e avaliar o que pode fazer em benefício dele e do relacionamento.

“Em vez de ficar olhando para outras pessoas, comece a avaliar o que pode fazer pela outra pessoa. ‘Eu sei que ela tem erros, mas tem muitas coisas boas também. O que eu posso fazer para ajudá-la a melhorar?’”, ressalta Cristiane.

Contudo, quando a pessoa começa a prestar muita atenção do lado de fora e, especialmente, gosta de ficar nas redes sociais observando a vida de terceiros, acaba, inevitavelmente, fazendo as perguntas erradas.

“Por que ele tem e eu não tenho?  Por que todo mundo é feliz e eu não sou?”, exemplifica Cristiane. No entanto, a verdade é que a pessoa não está fazendo o que precisa ser feito para ter um relacionamento feliz.

Ladrão do tempo

Para ilustrar o assunto, o Bispo Renato usou como exemplo a seguinte situação:  se toda vez que você passasse num determinado lugar, você fosse assaltado, o que você faria? No mínimo, mudaria de caminho, não é?

“Mas, muitos casais estão sendo assaltados todos os dias, não por um ladrão armado, mas pelo ladrão do tempo. Você tem que notar os exageros, aquilo está substituindo a presença do seu cônjuge na sua vida”, observa.

Mantenha o foco no seu cônjuge

Infelizmente, existem casais que a única coisa que têm em comum é o fato de morarem na mesma casa. Mas vivem um relacionamento de cobranças, justamente, porque estão focados em outras coisas e pessoas, quando deveriam focar um no outro.

O Bispo garante que quando o casamento é feito da maneira certa melhora com o tempo. “É como um sapato velho, por mais que você tenha outros pares de sapato, você sempre acaba usando o mesmo. Por quê? Porque quanto mais velhinho, mais confortável. Assim é o casamento”, finaliza.

Terapia do Amor

Para aprender mais sobre o amor inteligente, participe, às quintas-feiras, da Terapia do amor, que acontece no Templo de Salomão, em São Paulo, e em outras localidades. Consulte aqui o endereço mais perto da sua casa.


  • Jeane Vidal / Fotos: Getty Images 


reportar erro