Rede aleluia
Uma pergunta que todo casado deve responder
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Renato Cardoso | 19 de abril de 2013 - 01:59


Uma pergunta que todo casado deve responder

Uma pergunta que todo casado deve responder
Uma pergunta para você que é casado:
Você pretende um dia trair seu cônjuge?

Antes de responder, pense comigo. Quando pretendemos fazer algo, nossa mente logo entra em um processo de planejamento para alcançá-lo. É automático, pois é assim que nosso cérebro funciona. Quando expresso minha vontade ao meu cérebro, ele, como ótimo servo, imediatamente começa a buscar maneiras de realizá-la.

Assim, se eu pretendo comprar um BMW, por exemplo, então meu cérebro diz aos meus olhos para começar a notar os BMWs que passam na rua. De repente, eu começo a notar esses carros como nunca. E também os revendedores desta marca. Busco na Internet informações sobre os modelos, opções, preços e tudo mais a respeito. Faço contas para saber se posso comprá-lo, e se não, o que teria de fazer para poder um dia. Converso com amigos que tenham conhecimento sobre o carro. E assim por diante. Meu cérebro não vai parar de trabalhar nisso até um dia finalmente eu possuir o meu tão desejado BMW — ou até eu desistir da ideia. Mas tudo começou com um desejo, uma intenção.

Agora, de volta a nossa pergunta inicial.

Se você diz que pretende um dia trair seu marido ou esposa, que isso está firmemente nos seus planos, então provavelmente sua mente já está trabalhando no processo de realizá-lo. (Espero que ela faça o trabalho completo e lhe alerte também das consequências de tal ato, como um custoso divórcio, vergonha diante da família e amigos, o sentimento de culpa que carregará por anos, a decepção dos filhos, o certificado de idiota na parede etc.)

Mas se a sua resposta sincera é não, que você jamais pretende ser um adúltero, então responda também:

  • Por que ficar olhando outras mulheres se você nunca planeja tê-las?
  • Por que ficar focando no que seu marido deixa a desejar se você pretende estar sempre ao lado dele?
  • Por que ficar aceitando “amigos” do sexo oposto no Facebook só porque a foto deles ou delas lhe agrada?
  • Por que investir em assistir pornografia, se aquela pessoa não é, e nunca será, sua parceira?
  • Por que a curiosidade sobre como está a vida do seu ex?
  • Por que entreter uma relação perigosa com aquela pessoa que flerta com você no trabalho?
  • Por que você não faz mais para que o seu casamento seja uma alegria e não um fardo?

Por quê?


reportar erro