Rede aleluia
Inteligente para umas coisas, burro para outras
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Renato Cardoso | 15 de fevereiro de 2014 - 21:59


Inteligente para umas coisas, burro para outras

Inteligente para umas coisas, burro para outras

Os seus pés descem à morte; os seus passos conduzem-na ao inferno.

Como uma coisa tão gostosa, tão prazerosa, pode levar ao inferno?
Salomão fala aqui sobre a mulher adúltera. Lábios doces. Palavras suaves. Conversa sedutora. Roupas provocantes. Perfume enfeitiçador. Jeito sem-vergonha. Uma linda pomba que gira e gira e deixa tonto todos os que a olham.
É triste ver quantos homens têm seguido os passos dela. Quantos têm jogado o casamento e a vida na latrina e corrido para abraçar a mulher adúltera. E quantas mulheres abraçado homens da mesma laia.
O mal sabe como fisgar o ser humano. Desde o Éden ele usou o prazer e a vaidade para tirar o homem de perto de Deus. Chamou a atenção dos olhos de Eva para o fruto proibido. Apelou para sua vaidade fazendo-a imaginar como seria depois de comer o fruto, “tornando-se igual a Deus”.
Milhares de anos já se passaram, o ser humano evoluiu tanto na ciência e tecnologia, mas permanece burro no que diz respeito ao truque mais antigo do diabo. Ainda hoje, cai pela busca do prazer e da vaidade.
E não é como se Deus não nos desse algo melhor. Quando obedecemos a Ele, aí sim conhecemos o verdadeiro prazer dentro do casamento. Nos tornamos de fato como Ele pela obediência e não por comer o fruto proibido.
Você amigo(a) que nesse momento está sendo seduzido pela velha serpente a ir atrás da mulher ou homem adúltero: acorde! Enxergue a mentira na qual está prestes a cair. O prazer que você acha que vai desfrutar é na verdade o caminho do inferno.
Não seja burro. Seja inteligente em tudo, não só em algumas coisas.

Filho meu, atende a minha sabedoria; à minha inteligência inclina os ouvidos para que conserves a discrição, e os teus lábios guardem o conhecimento; porque os lábios da mulher adúltera destilam favos de mel, e as suas palavras são mais suaves do que o azeite; mas o fim dela é amargoso como o absinto, agudo, como a espada de dois gumes. Os seus pés descem à morte; os seus passos conduzem-na ao inferno. Provérbios 5.1-5


reportar erro