Rede aleluia
ESFRIAMENTO CONJUGAL: 3 coisas que causam, e o que fazer
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Renato Cardoso | 16 de janeiro de 2019 - 09:07


ESFRIAMENTO CONJUGAL: 3 coisas que causam, e o que fazer

Um aluno pede ajuda para resolver o esfriamento conjugal que assola seu casamento. Após 11 anos de casados, ele e sua esposa agora vivem como irmãos dentro de casa.

Assista o vídeo acima (11 mins) para saber por que esse esfriamento acontece com muitos casais e o que fazer para evitar ou resolvê-lo.

Lembre-se: todo casal deve ter o que chamamos de “boa rotina”, ou seja, aqueles hábitos do início do namoro, como os beijos, os abraços, a mensagem carinhosa ao longo do dia, enfim, coisas simples, que trazem a manutenção para um relacionamento feliz e duradouro.

 

Veja também:

[related_posts limit=”7″]

Cadastre-se nesse blog e seja avisado de novos posts…


reportar erro