Rede aleluia

Notícias | 8 de maio de 2019 - 00:05


Os últimos e os primeiros

Leia a mensagem de hoje do livro “O Pão Nosso para 365 dias”

“Toma o que é teu e vai-te; pois quero dar a este último tanto quanto a ti. Porventura, não me é lícito fazer o que quero do que é meu? Ou são maus os teus olhos porque eu sou bom? Assim, os últimos serão primeiros, e os primeiros serão últimos [porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos].” (Mateus 20.14-16)

Não há injustiça no Reino de Deus. O Senhor Jesus comparou o Reino dos Céus a um homem que saiu de madrugada e combinou com os trabalhadores de sua vinha um valor pelo trabalho. Horas mais tarde, encontrou outros na praça e os chamou também para trabalhar. Mais algumas horas depois, chamou outros. Quase no final do dia, contratou mais um grupo.

Na hora de receberem o salário, começou pelos últimos. Todos receberam o mesmo. Os que estavam há mais tempo reclamaram, achavam que mereciam mais. Receberam o puxão de orelha descrito nos versículos de hoje.

Os desprezados eram humildes, sabiam que estavam ali sem merecer. Já os que estavam trabalhando desde a madrugada, acharam que mereciam alguma coisa e sua arrogância os deixou por último.

Há quem acredite que o muito tempo de igreja o fez merecedor. Outros, pensam que por terem chegado há pouco tempo, não merecem coisa alguma. Mas o Reino de Deus não é dado por merecimento. O Reino é de Deus, não nosso. E só é conquistado pela fé. Devemos dar o nosso melhor, e não contar com o tempo de igreja ou com nossos conhecimentos bíblicos.

Manter a fé viva. A obediência. Todos os que se dispuseram e obedeceram foram recompensados. Os que achavam que mereciam mais, acabaram recebendo por último. Já os que entenderam que estavam ali porque o seu senhor era bom, e não porque mereciam, foram honrados e receberam primeiro. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.

(*) Fonte: livro “O Pão Nosso para 365 dias”, do Bispo Edir Macedo


  • Redação (*) / Foto: Thinkstock 


reportar erro