Rede aleluia

Notícias | 26 de abril de 2019 - 12:02


Como o diabo escolhe suas vítimas

Entenda por que a Bíblia usa o leão para explicar a estratégia do mal

Provavelmente, você já assistiu aqueles programas sobre o reino animal, de como os leões atacam. É eletrizante observar, na segurança do sofá de casa, todo aquele ataque. Por vezes, nos pegamos torcendo para que a presa escape. Afinal, ela é tão indefesa. Em outros momentos, nos pegamos irritados e questionando como ela pôde dar tanto vacilo.

 

Mas, já parou para pensar que este mesmo ataque pode estar acontecendo contra a sua vida? E que você pode estar dando tanto vacilo quanto aquele animalzinho apanhado pelo leão?

 

Como o mal ataca

 

Em sua primeira epístola, o apóstolo Pedro, dirigido pelo Espírito Santo, nos orienta:

“Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão bramando, buscando a quem possa tragar” 1 Pedro 5.8

 

É preciso entender um detalhe contido neste versículo e que faz toda a diferença para compreender melhor a orientação.

 

O Bispo Wagner Negrão, responsável pelo trabalho evangelístico da Universal em Brasília, explica que há uma diferença sobre a analogia feita usando o leão.

 

A Bíblia diz que Jesus é o leão da tribo de Judá (Apocalipse 5.5), e nesta passagem descrita em 1 Pedro, aparentemente, compara o diabo também com um leão.

 

Porém, é preciso compreender que não é no sentido da imagem do leão, de força, realeza e poder, como a que representa Jesus, e sim da maneira como este animal caça.

 

 

 

“Não é que o diabo seja parecido com o leão, mas que ele segue a estratégia de caça dele. E se eu sei como um leão caça, também sei como o diabo age”, explica o Bispo Wagner.

 

O Bispo esclarece que o leão tem muitas estratégias de caça, e exemplifica uma delas.

 

Algumas leoas surgem, de repente, e assustam o bando dos animais escolhidos para serem a presa. No susto, eles saem correndo. Na sequência do ataque, uma leoa fica parada observando a reação de cada animal do “bando de presas”, procurando algum que esteja doente, fraco, seja novinho ou mais afastado dos demais. Quando encontra, parte para o ataque.

 

De acordo com a explicação do Bispo, trazendo isso para a vida espiritual e a forma como o diabo age, acontece da mesma forma.

 

O diabo vem por meio de uma situação, uma má notícia, um problema, uma perseguição. A reação da pessoa irá expor o estado dela. Se ela se “assusta” entregando-se ao medo, por exemplo, ela adoece e enfraquece a sua fé, tornando-a uma presa fácil para o diabo.

 

Como, então, não ser pego?

 

Contra o ataque

 

O diabo fica todo o tempo observando e planejando como pegar suas vítimas. É importante se analisar e procurar quais têm sido suas fraquezas, aquilo que você tem mais dificuldade. Agindo assim, cumprirá a primeira ordem dada no mesmo versículo:

 

“Sede sóbrios; vigiai..” (1 Pedro5.8)

 

 Ser sóbria implica em dizer que a pessoa não está embriagada. Porém, a embriaguez que a Bíblia se refere aqui não é a alcoólica, e sim, a dos sentimentos.

 

Quando a pessoa dá vazão a eles, embriaga-se, neutralizando assim a fé, fazendo com que não fique atenta. Ela perde o controle e torna-se vulnerável. “Sobriedade diz respeito à inteligência, razão, Espírito. Nada tem a ver com as emoções do coração”, ressalta o Bispo Wager, pontuando o quanto os sentimentos de ódio, desejo de vingança, mágoa, medo, entre outros, torna a pessoa “cega” espiritualmente, dando ao diabo condições para “devorá-la”.

 

O Bispo ainda alerta que aquilo que a pessoa diz não ter forças para vencer, não passa de uma mentira contada pelo diabo para enganá-la. Se ela tomar a decisão de ir contra este sentimento, fechará a porta para o diabo.

 

Desse modo, não podemos deixar nunca esta orientação cair no esquecimento. Sobriedade e vigilância têm que fazer parte da nossa vida, pois o diabo não vai deixar passar nenhuma oportunidade de nos devorar.

 

Por isso, esclarece o Bispo, a necessidade de ter o Espírito Santo, e não confundir o bem-estar das conquistas materiais com a presença dEle.

 

Muitos confundem e ficam sossegados achando que estão bem e, de repente, quando surge um problema, por não terem a fé que Salva, tornam-se presas do diabo. “Mas Deus age dentro, muda o ser, transforma a mente, o coração. E esta nova criatura tem condição de vencer. Não terá elo fraco nela. O diabo ficará babando ao seu redor, mas não poderá tocar em sua vida”, finalizou.

 


reportar erro